Domingo, 19 de Maio de 2019
SEM ALTERAÇÃO

Saída de emissoras da grade das TVs por assinatura não afeta TV A Crítica

Quem recebe o sinal da TV A Crítica/Record em Manaus não irá sofrer alterações pelo menos até maio do ano que vem



TVACR.jpg
Programação não será alterada para assinantes de Manaus (Foto: AC)
28/03/2017 às 19:09

Os telespectadores que assistem a programação da TV A Crítica/Record nos canais por assinatura não serão afetados pela saída de Record, Rede TV e SBT da grade das operadoras. 

A saída das emissoras foi anunciada para esta quarta-feira, data em que  a frequência de TV analógica será desligada em São Paulo. Mas pelo acordo entre as emissoras e as operadoras de TV por assinatura, a programação só sai da grade em cada cidade quando há o corte do sinal analógico. Em Manaus, a previsão é que isso aconteça apenas em maio do ano que vem (2018). 

Na capital amazonense, a mudança só será sentida já a partir de hoje por assinantes de operadoras que retransmitem  a programação de São Paulo e não o conteúdo local, como acontece na Sky. Já aqueles que assistem os programas locais (TV A Crítica), como os assinantes da NET, não sofrerão alteração. 

A razão do rompimento das emissoras com as operadoras foi a falta de pagamento pelo conteúdo produzido por SBT, Record e Rede TV. As principais operadoras pagam para a Rede Globo desde 2014 mas não vêm fazendo o mesmo com as outras emissoras, que se uniram em uma única empresa - Simba Content -  para negociar os direitos de suas respectivas programações.

Como não houve acordo, e as empresas que produzem conteúdo seguem sem receber pelo material feito,  a Simba Content entrou com um processo no Conselho de Administração de Defesa Econômica (Cade) em 2016, alegando concentração de mercado por parte das operadoras. O Cade decidiu em favor da Simba e autorizou que as mesmas retirassem seus canais das grades.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.