Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Manaus

Sala VIP do café de vereadores incomoda servidores da CMM que tiveram leite cortado

Servidores da CMM reclamam que enquanto cortam o leite do café deles, a CMM monta sala com banquete para os vereadores



1.jpg Frutas, pão, sucos, queijo, presunto, entre outros petiscos, fazem parte do cardápio da sala do café da manhã dos vereadores
13/05/2015 às 11:52

Desde o começo do ano, a ordem da vez na Câmara Municipal de Manaus (CMM) é economizar. Uma das medidas do presidente da Casa, vereador Wilker Barreto (PHS), foi extinguir o leite — que gerava um gasto anual de R$ 170 mil. Agora, de graça, somente cafezinho preto. Porém, alguns servidores demonstraram insatisfação com a decisão e denunciaram: enquanto eles não têm nem café com leite, os parlamentares têm frutas, pão, sucos, queijo, presunto, entre outros petiscos.

“Tudo bem que é preciso diminuir as despesas porque estamos em um ano de crise. Mas, enquanto nós não temos nem café com leite, os vereadores ganharam uma sala especial, onde ninguém tem acesso. Da porta, podemos ver pão, queijo, frutas, sucos e leite!”, disse uma funcionária da CMM, que pediu para não ser identificada. “É injusto só nós, servidores, termos que nos contentar com um café preto e eles têm um banquete à disposição. Que tipo de economia é essa?”, reclamou outro servidor.

Questionado sobre a “regalia”, Wilker Barreto informou que não há nada demais em oferecer um local particular aos vereadores. Segundo ele, isso é comum pelo Brasil. “A Câmara de Manaus não inventa moda. Se você for aos principais parlamentos do País — Câmara Federal, Senado da República, Câmara de São Paulo, Câmara do Rio de Janeiro... — todas têm uma sala onde os parlamentares podem tomar um café, bater um papo. Lá é um espaço político, onde se conversa sobre política”, afirmou.

De acordo com ele, diferentemente de algumas outras casas legislativas, a de Manaus não utiliza verba pública para custear o café da manhã dos parlamentares. “A Câmara de São Paulo dá um Buffet diariamente aos seus vereadores. Aqui, os vereadores se cotizam. Cada um dá um pouco. Fica esse espaço de conversa política, sem nenhum prejuízo para a Câmara”, declarou. “Se você for aos setores, têm um chá, bolacha, porque um traz numa semana e o outro na outra”, completou.

Ainda segundo o presidente da CMM, a cotinha do café da manhã sai mais barato do que se imagina e o corte do leite — e outros gastos, como papel e contratos de serviços de Internet, por exemplo — resultará em uma economia de R$ 3 milhões. “Se cotizar, não sai caro. Para 41 vereadores tomarem café, você não gasta nem R$ 50. Eu não tenho é coragem de falar à sociedade que a Câmara gasta R$ 170 mil de leite por ano. Aqueles servidores que reclamam, se cotizem”, concluiu.

Conselheiros

Um grupo de conselheiros tutelares, que atua nas zonas urbana e rural de Manaus, esteve, ontem, na CMM, para solicitar apoio no reforço de segurança durante o expediente. Recebidos por Wilker Barreto, eles também informaram que não recebem reajuste salarial desde 2009.

Sem partidos esperam reforma

Expulsos do PPS e do PSB, os vereadores Professor Samuel e Elias Emanuel, respectivamente, esperam as definições da reforma política nacional para decidir a qual partido se filiarão. O prazo estipulado pelo calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é de um ano antes das próximas eleições, no dia 2 de outubro de 2016. O primeiro, inclusive, já foi sondado por quatro legendas: Partido Humanista da Solidariedade (PHS), Partido Trabalhista Nacional (PTN), Partido Verde (PV) e Partido Social Democrata Cristão (PSDC).

“Todos os meus colegas de bancada, do parlamento, têm me procurado. Mas estou esperando a reforma política em Brasília para ter certeza”, disse Samuel, ao ressaltar as mudanças que vão influenciar na escolha. “Se será o ‘distritão’, se serão os 41 mais votados, ou se vai continuar como era até a última eleição”, ressaltou.

“Eu vou [decidir], de maneira muito fria. Tem muita coisa acontecendo, tem uma reforma política acontecendo e a Câmara Federal diz que, até o final de maio, já deve dar um horizonte para essa reforma política. Com base nisso, eu tomo uma decisão”, disse Elias.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.