Terça-feira, 18 de Junho de 2019
Manaus

Samsung está instalando estúdio de games em Manaus e inicia atividades locais em 2014

A gigante coreana já está montando uma equipe composta por game designers, desenvolvedores e artistas para a criação de conteúdos exclusivos para seus dispositivos, que ficarão concentrados no recém-lançado Samsung Hub



1.jpg Vice-presidente da área de serviços e conteúdos, Fiamma Zarife acredita na parceria entre Samsung e universidades brasileiras para potencializar produção de conteúdos exclusivos
29/11/2013 às 20:14

A Samsung já está implantando e irá lançar no começo de 2014 um estúdio focado no desenvolvimento de jogos exclusivos para seus aparelhos com sede em Manaus. A ação faz parte da nova estratégia regional (leia-se brasileira) da gigante coreana, que planeja agregar todos seus conteúdos com os chamados Media Solution Center e Samsung Hub, postos ao ar recentemente.

Fiamma Zarife, que há 11 meses ocupa a vice-presidência da área de serviços e conteúdos, foi quem revelou os novos rumos de expansão da empresa tecnológica durante encontro com jornalistas nesta semana, em São Paulo. Para isso, parcerias com as dez melhores centros de ensino do Brasil, onde a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e Universidade Federal do Amazonas (Ufam) se destacam, estão em andamento.

“Vamos capacitar essa garotada para desenvolverem para nós. As faculdades agora que estão abordando isso (desenvolvimento de games) e queremos ajudar”, afirma Zarife. Games é apenas a primeira iniciativa, sendo que a ideia é verticalizar isso para todos os nossos conteúdos. “Vamos estimular bastante esta área”, acrescenta a executiva.

Para ela, as universidades nacionais, até pelo conteúdo didático posto em prática, ainda não conseguem focar tanto no desenvolvimento, e é aí que a Samsung entra. “Queremos fazer uma extensão disso: vamos oferecer as ferramentas da Samsung, usar os nossos diferenciais para fazer algo totalmente novo. Vamos dar esse suporte”, completa.

Impedida pela estratégia global da Samsung em não revelar muitas informações, Zarife não pôde adiantar o tamanho da equipe em Manaus, mas garantiu que, além dos estudantes da UEA e UFAM, o novo estúdio já chamou atenção de outros desenvolvedores que trabalham em empresas similares, como o Instituto Nokia de Tecnologia (INdT), também em Manaus, e em outras regiões do País.

“Estamos iniciando agora a contratação, vamos ter game designers, desenvolvedores e artistas trabalhando juntos”, revela. Para a vice-presidente, a escolha de sediar o estúdio longe do grande pólo tecnológico brasileiro é justamente por querer sair do eixo tradicional, além da comodidade de ter uma fábrica instalada há 18 anos na capital amazonense, que concentra cerca de 6 mil funcionários, e um centro de pesquisa.

“Manaus já é um pólo para a empresa. A facilidade de começar por lá se dá porque já temos grandes parcerias, até mesmo com o Governo do Estado. Em São Paulo acontecem muitas coisas, temos a Unicamp, mas queremos começar por Manaus para poder capacitar as pessoas da melhor forma para a gente”, comenta Zarife.

Mercado internacional

O objetivo do Media Solution Center da Samsung é redefinir funções para os dispositivos da marca. Segundo Fiamma Zarife, a intenção é ir além do hardware. “Queremos criar um ecossistema ao redor dos nossos produtos. Atualmente, temos uma gama enorme de dispositivos que ainda não falam entre si, e queremos investir nessa comunicação homogênea”, diz.

O mercado, impulsionado por smartphones e pelo consumo de dados, tem um crescimento previsto de 20% até 2017. Esse foco faz parte da estratégia global da Samsung e vai ser impulsionada nas principais regiões do mundo. “É um mercado extremamente promissor”, garante Zarife.

“Por isso queremos trazer desenvolvedores para trabalhar com a gente, para podermos capacitá-los nesse ecossistema, usando todas as nossas ferramentas disponíveis e adicionando funcionalidades para games e mídias”, acrescenta, dizendo que é a força da marca Samsung que irá impulsionar o MSC.

Zarife sabe que o mundo está e, principalmente, a forma como conteúdos digitais são consumidos estão mudando. Os celulares estão cada vez ganhando mais share of attention e o fenômeno da segunda tela é cada vez maior. “É uma revolução e a Samsung não poderia deixar de prestar atenção nisso”, garante a vice-presidente, admitindo ter consciência de que o futuro da tecnologia não é apenas o hardware, e sim uma integração dele com o software e serviços. “Por isso queremos criar um ecossistema que englobe tudo”, finaliza.

*O editor viajou a convite da Samsung Brasil


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.