Quinta-feira, 04 de Junho de 2020
Manaus

São José é o bairro líder em focos de Aedes aegypti, segundo dados do Ministério da Saúde

De acordo com órgão, o bairro da Zona Leste é o que concentra o maior número de focos do mosquito causador da dengue, Zika e Chikungunya



1.jpg De acordo com o secretário Municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão, desde dezembro o órgão tem realizado o trabalho de combate no São José
12/02/2016 às 20:28

Dos cinco bairros de Manaus classificados pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) como de alto rico para transmissão de doenças pelo Aedes aegypti, o São José Operário, na Zona Leste, está em primeiro lugar.

De acordo com o secretário Municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão, desde dezembro o órgão tem realizado o trabalho de combate no São José, além de outros com alto risco como Tancrado Neves, Armando Mendes e Zumbi. O trabalho começou após a prefeitura decretar Estado de Emergência por causa da procriação do Aedes aegypti.



“Antes mesmo da Organização Mundial da Saúde (OMS) dar início ao trabalho de combate, Manaus realiza as campanhas e ações de combate, principalmente voltados para esse bairro que o [Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypto] LIRAa apontou como de alto risco. 32 mil imóveis foram visitados desde dezembro”, explicou.

Homero informou que a falta de saneamento básico colabora para a procriação do mosquito, como é o caso do bairro São José. “Além da questão da falta do saneamento básico, outras situações que a população precisa estar permanentemente alerta com o cuidado da procriação, é dentro de casa ou no quintal em vasos, tampas e em qualquer lugar onde possa ter água parada. Isso é uma responsabilidade de cada cidadão. Agora vale lembrar que esta área do São José é um local mais populoso e de alguma forma isso colabora”, disse Homero.

Para o secretário, o ranking não é considerado mais importante, pois há o mosquito em toda a cidade. Manaus está classificada como médio risco e a preocupação deve ser permanentemente de todos os habitantes. É necessário terminar com a epidemia e a negligência de qualquer indivíduo pode custar a vida do próximo.

“Nossa preocupação são as grávidas, ainda mais com a situação da transmissão do zika vírus. Uma doença nova  e com grandes complicações. A preocupação também está nas sequelas que este vírus deixa nas crianças. Hoje temos um cenário inimaginário pela frente”, reforçou o secretário.

O dia D, conforme Homero é considerado apenas mais um dia de trabalho, mas irá reforçar o combate contra o mosquitos nos locais onde há permanência do foco e procriação. Além do trabalho de visitação, as ações também são realizadas com carros e motos que liberam o fumace de combate.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.