Sexta-feira, 18 de Outubro de 2019
Sem placas

Vandalismo em bustos de personalidades tem se tornado natural em Manaus

O problema não está destinado só às pichações, mas se formos procurar os bustos de personalidades, como exemplo, é bem difícil de identificar, pois não há placas de identificação, pois foram arrancadas.



1102090.JPG Em frente à Escola Normal Superior da UEA, sem placa, o busto foi identificado com tinta, mas falta confirmar a veracidade. (Winnetou Almeida)
03/07/2016 às 15:38

A foto do monumento pichado do ex-governador Tenreiro Aranha teve grande repercussão na última semana nas redes sociais. E não foi a primeira vez que o fato ocorreu. O ato de vandalismo com o monumento e em outros lugares, até mesmo com os bustos de personalidades, tem se tornado algo totalmente natural. 

O problema não está destinado só às pichações, mas se formos procurar os bustos de personalidades, como exemplo, é bem difícil de identificar, pois não há placas de identificação, pois foram arrancadas. Mais um ato de vandalismo. Como é o caso de um busto que se encontra no meio do Boulevard Álvaro Maia, Zona Centro-Sul.



Às vésperas das  Olimpíadas, Manaus será uma das cidades subsedes. Muitos que tiverem a curiosidade vão parar em frente a imagem de estátuas ou bustos  e não irão conseguir identificá-lo. Podem até parar alguém que esteja passando pelas proximidades da estátua, mas será que essa pessoa vai saber responder quem é aquela personalidade?

O A ACRÍTICA foi às ruas e chegou a questionar as pessoas que passavam próximo dos bustos para saber se eles reconheciam a personalidade. No boulevard, o técnico em eletricidade, Franck Tavares, 58, se alto questionou e respondeu não saber, mas ele informou que não é de Manaus, mas de Parintins (a 369 quilômetros da capital).

“Como não sou daqui, não conheço muito da história dos personagens de Manaus. Se estivesse alguma placa de identificação, poderia ajudar a reconhecer. No busto até tem marcas de que havia uma placa de identificação, mas pelo jeito foi retirada ou furtada”, comentou Tavares.

A aposentada, Anelita Batista, 61, também não soube informar se reconhecia a personalidade do busto, porém, após ser questionada enquanto o sinal fechava para ela atravessar a via, retornou e comentou. “Acredito que como estamos no boulevard Álvaro Maia há uma grande possibilidade desta estátua esteja relacionado a ele, mas sem a identificação, realmente fica complicado de confirmar”, disse.

Outro local na cidade que há um busto na cidade é na praça Antônio Bittencourt - conhecida como praça do Congresso, Centro. Diferente dos demais, nesta praça a estátua tem a identificação de um dos governadores do Amazonas, Eduardo Ribeiro.

Vandalismo e falta de identificação

Outro busto que também não possui nenhuma placa de identificação é o que está no meio de uma praça que fica em frente à Universidade Estadual do Amazonas (UEA) Normal Superior, entre a Djalma Batista e Efigênio Salles.Recentemente o local onde tinha a placa foi riscada com a seguinte informação: “comendador Sir Duke Expedito Monteiro”. Mas não é possível afirmar se este seria a personalidade do busto.

Quem sempre passa em frente à estátua também se questiona sobre a autoridade, como é o caso da professora Nilva Bentes, 51. Responsável por ensinar crianças do primeiro ao quinto ano, disse que toda vez se pergunta quem seria aquela personalidade. “Cheguei a pesquisar sobre, mas até hoje não encontrei nada, seria bom se tivesse uma placa com essa informação”, comentou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.