Publicidade
Manaus
CRÍTICAS

"Se transporte fosse minha responsabilidade, teria tomado outras decisões", diz Melo

Para governador, prefeito está tentando se eximir de suas responsabilidades ao atacá-lo. "Daqui a pouco vou ser responsabilizado pelos buracos de Manaus" 22/02/2017 às 09:30 - Atualizado em 22/02/2017 às 09:31
Show whatsapp image 2017 02 22 at 09.23.39
José Melo falou sobre o aumento da tarifa na reinauguração do Centro Cultural Thiago de Mello (Foto: Aguilar Abecassis)
acritica.com Manaus (AM)

Participando da reinauguração do Centro Cultural Thiago de Mello, na zona Leste de Manaus, o governador José Melo rebateu as críticas feitas pelo prefeito Artur Neto  e afirmou que a responsabilidade pelo aumento da tarifa de ônibus em Manaus, que passou de R$ 3 para R$ 3,80 em menos de um mês, é exclusiva da Prefeitura de Manaus.

"Tenho minhas responsabilidades como governador e não me eximo de nenhuma delas. Mas transporte coletivo não é responsabilidade minha. Se fosse, eu teria tomado outras decisões", afirmou o governador, destacando que houve uma "quebra de confiança" na relação. "Havia o compromisso comigo de que ele não aumentaria a passagem e eu não retiraria o subsídio. Como ele aumentou, quebrou o compromisso que a gente tinha e não tenho mais porque sacrificar o resto do Estado quando aqueles que queríamos beneficiar estão sendo punidos".

O governador afirmou ainda que poderia até retomar os subsídios concedidos às empresas de ônibus, mas apenas "se a passagem voltar a R$ 3". Ele criticou ainda a falta de transparência na planilha de custos do transporte coletivo e disse que a planilha "parece orelha de freira, ninguém vê".

Para Melo, a causa de todos os problemas enfrentados pelos passageiros de transporte coletivo de Manaus foi a falta de ação do prefeito de Manaus, especialmente no ano passado. "Ele fez show em cima do palanque, dizendo que não ia aumentar a passagem porque quem mandava era ele. Aí termina a eleição, ele some e volta para aumentar a passagem duas vezes", criticou ele, afirmando ainda que o Estado se responsabiliza por serviços que são da Prefeitura, mas não pode ser também o responsável pelo transporte.

"Uma das coisas que não é minha responsabilidade, mas não deixo de fazê-lo, porque diz respeito à vida das pessoas, é a saúde. 90% das atividades do Platão Araújo, João Lúcio e 28 de Agosto são de atenção básica. Isso é responsabilidade do município, mas eu faço. Agora querem me passar mais uma (responsabilidade)? Daqui a pouco vou ser responsabilizado pelos buracos de Manaus", disse Melo, ressaltando que cada um deve cuidar de suas respectivas missões. "Essa história de jogar a culpa nos outros para se eximir da sua não existe mais".

Publicidade
Publicidade