Publicidade
Manaus
SISTEMA PRISIONAL

Seap encontra túnel em pavilhão de líder da facção criminosa FDN no CDPM

A entrada da escavação estava escondida embaixo de um vaso sanitário. Estimativa é de que 250 detentos iriam tentar escapar pelo túnel 13/11/2018 às 22:27 - Atualizado em 13/11/2018 às 22:39
Show tunel cdpm 2cff6947 2527 452b bf5b 0aab6f02fa2e
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Agentes da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) encontraram, no final da tarde desta terça-feira (13), a escavação de um túnel no Centro de Detenção Provisória Masculino 1 (CDPM 1), localizado no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista). 

A entrada da escavação estava escondida embaixo de um vaso sanitário na cela 6 do pavilhão 5. Nas celas do Pavilhão, estão presos de alta periculosidade, entre eles Alan Sérgio Martins Batista, o “Índio”, um dos líderes da facção criminosa Família do Norte (FDN).  

A Seap informou em nota que ainda não se sabe a dimensão da profundidade da escavação devido a quantidade de barro ensacado e lama. De acordo com o Departamento de Inteligência Penitenciária (Dipen), a estimativa era que 250 detentos de dois pavilhões iriam tentar escapar pelo túnel.

Segundo as investigações da Seap, a escavação teve início meses antes da transferência de dez detentos do CDPM 1 para o Presídio Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. A suspeita é que estes internos teriam orquestrado o plano de fuga.

O local foi isolado e nesta quarta-feira (14) será feito o serviço de concretagem da escavação. O patrulhamento da unidade prisional também foi reforçado, segundo a Seap agentes da Coordenação do Sistema Penitenciário (Cosipe) estão na unidade para evitar qualquer tipo de convulsão no sistema penitenciário.

Para os oito presos da cela onde foi encontrado o indício de túnel, os procedimentos cabíveis serão para dano ao patrimônio público. 

O titular da Seap, coronel da Polícia Militar, Cleitman Coelho, afirmou que revistas e procedimentos de segurança estão sendo seguidas em todas as unidades prisionais da capital e do interior, além das operações com o apoio da Polícia Militar (PM). 

Publicidade
Publicidade