Publicidade
Manaus
TENSÃO

Após agente penitenciário ser assassinado, presos ficarão trancados por 30 dias nas celas

Secretário de Administração Penitenciária determinou, ainda, a retirada de objetos como freezers, ventiladores e fogões do Complexo Penitenciário Anísio Jonim. "Estamos fazendo o que manda a lei", disse 03/12/2018 às 12:27 - Atualizado em 03/12/2018 às 13:45
Show show semiaberto 1533937768 d6a41fc7 e017 47df b6a2 d613e5d0ac85
Foto: Divulgação
Joana Queiroz Manaus (AM)

O secretário de Administração Penitenciária, coronel Cleitman Coelho, determinou a realização de uma limpeza geral no regime fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), palco do assassinato de um agente penitenciário no último sábado (1). Os presos não vão receber visitas e nem sair das celas durante 30 dias.

Conforme o secretário, a Seap mandou retirar freezers, ventiladores, fogões e outros equipamentos, devendo permanecer apenas colchões e objetos de higiene e limpeza. “Estamos fazendo o que manda a lei“, disse o secretário.

Outra a medida tomada por Cleitman Coelho é distribuir kits essenciais com uniformes, sandálias e material de higiene e limpeza para os detentos.

A determinação é que os presos permaneçam uniformizados durante todo o dia e na "tranca", ou seja, trancados nas celas e sem direito a banho de sol. 

No último sábado (1°), o agente penitenciário Alexandro Rodrigues Galvão, 37, foi morto a facadas dentro do Compaj durante um motim dos presos, que teriam ficado revoltados com a proibição da entrada de pessoas durante as visitas.

Publicidade
Publicidade