Publicidade
Manaus
Manaus

Seduc decide não tomar providências contra falso aluno de Harvard

Questionada sobre a posição da Seduc, a assessoria informou que a atitude de Jean não foi considerada como algo formal. A farsa não está configurada dentro dos parâmetros considerados como ilícitos pelo órgão 05/04/2013 às 12:15
Show 1
SEDUC chegou a divulgar a aprovação do aluno, mas voltou atrás dois dias depois
Bruna Souza Manaus, AM

A Secretaria de Estado de Educação do Amazonas (Seduc) informou nesta sexta-feira (5) que não tomará nenhuma providência contra o estudante Jean Cardoso Lopes, de 18 anos, que entregou um certificado de admissão falsificado no curso de medicina para a Universidade americana de Harvard.

O ‘jovem prodígio’ da rede pública do Estado, como foi considerado por familiares e amigos, mentiu ao apresentar uma história sobre sua admissão em uma das melhores universidades do mundo. A farsa só foi descoberta dois dias depois que a secretaria anunciou aos veículos de comunicação e na sua página oficial na internet, o feito do estudante.

Segundo a assessoria de imprensa do órgão, a fraude foi descoberta depois que Jean apresentou um diploma da Universidade de Harvard com a sua aprovação no curso de medicina. O servidor público que recebeu o documento desconfiou da autenticidade do certificado e entrou em contato com o escritório da universidade existente em São Paulo.

Na manhã de quinta-feira (4), foi confirmado que o certificado era falsificado, tendo em vista que a universidade envia cartas de admissão aos selecionados e não o documento apresentado pelo estudante.

Questionada sobre a posição da Seduc, a assessoria informou que a atitude de Jean não foi considerada como algo formal. A farsa não está configurada dentro dos parâmetros considerados como ilícitos pelo órgão, como por exemplo, usar um certificado falsificado de conclusão do ensino médio expedido pela secretaria para entrar na Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Jean é natural do estado do Pará e morava em Manaus com uma família que o acolheu. No fim do ano de 2012, ele concluiu o ensino médio na Escola Estadual Sebastiana Braga, localizada no bairro Cidade Nova, Zona Norte da cidade.

Repercussão

A atitude de Jean teve uma repercussão negativa na internet e nas redes sociais, os comentários e posts desaprovam a conduta do estudante que conseguiu pregar uma ‘peça’ na Secretaria de Educação e em alguns veículos de comunicação locais, que noticiaram a conquista do jovem.

O internauta que se identificou apenas como ‘Bruno’, comentou o comportamento de Jean, na matéria publicada no acritica.com, como uma busca na atualidade da autovalorização da imagem.

“Que pena que era mentira, então. Será que o aluno não acabou passando por esse efeito do Facebook, onde as pessoas se sentem na obrigação de se sentirem queridas por feitos expostos? NÃO SEI.”, declarou ele.

Outros internautas criticam o estudante, associando a farsa à imagem repassada por políticos do país. “Quando eu li que ele iria cursar Medicina e Ciências Políticas,  pensei: Esse garoto sabe o que está fazendo, ele quer seguir carreira política. Não errei muito,  ele começou a fazer pilantragem desde cedo. Agora só falta fazer pós-graduação de ladroagem na Universidade de Corrupção do Congresso Nacional, em Brasília”, ironizou o internauta André Cezar Lima.

Em outros comentários, os internautas reclamam da educação do estado e da Seduc, por não ter confirmado o caso antes de divulgar as informações repassadas pelo estudante.

Publicidade
Publicidade