Domingo, 21 de Abril de 2019
publicidade
bus.JPG
publicidade
publicidade

MEDIDA

Sem acordo com Prefeitura e Sinetram, Rodoviários decidem paralisar 70% da frota

Medida passa a valer a partir de hoje. O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir Oliveira, deixou a reunião de hoje na sede da Prefeitura de Manaus. Segundo ele, a proposta do Sinetram é imoral


30/05/2018 às 17:15

Ainda nesta quarta-feira (30) mais de 70% da frota de ônibus de Manaus será paralisada. A informação é do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário e Urbano Coletivo de Manaus e no Amazonas (STTRM), Givancir Oliveira, que deixou a reunião de hoje na sede da Prefeitura de Manaus, no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus.

Participavam da reunião, o prefeito de Manaus, Arthur Neto, e representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) e do STTRM.  

“Infelizmente, o Sinetram veio, mais uma vez, fazer pouco da categoria. A proposta deles é imoral e indecente. Como eu vou falar para a categoria que aceito um reajuste de 1%?”, reclamou Givancir. “Só vamos liberar os 30% estipulados por lei. A greve é um direito do trabalhador”, acrescentou o sindicalista que pede o reajuste de 3,5% para a categoria referente o dissídio do ano 2018/2019.

Sobre a multa de R$ 200 mil por hora de paralisação imposta pela Justiça do Trabalho, ele disse que o sindicato vai recorrer. “O Sinetram diz que não tem lucro. Se não tem lucro, o que eles estão fazendo em Manaus? Eles são pessoas muito caridosas. Estão ajudando a população manauara”, alfinetou Givancir.

Continuam dentro da sala o prefeito de Manaus e os representantes do Sinetram. Na reunião de ontem, Arthur chegou a dizer que só sentaria com os Rodoviários se fosse para “selar acordo”. “Todo mundo sabe que catraca livre é apropriação indébita. Mas se o prefeito topar, a gente faz catraca livre”, conclui Givancir.

Frota de 70% de manhã

Desde o início da manhã de hoje, no segundo dia de greve, os rodoviários pararam 30% da frota na capital, segundo o Sinetram, fazendo com que apenas 70%, ou cerca de 800 coletivos circulassem na cidade, prejudicando aproximadamente 350 mil usuários do transporte público. Os trabalhadores querem reajuste salarial. Atualmente o transporte coletivo em Manaus funciona com nove empresas, 229 linhas em 1,3 mil ônibus.

Negociações

Ontem, terça (29), apenas 50% da frota de ônibus circulou na cidade. Houve um diálogo entre os rodoviários, os representantes das empresas e o prefeito de Manaus, Arthur Neto. Entretanto, eles não chegaram num acordo para as reivindicações da categoria e sobre o fim da greve. Os representantes do Sinetram saíram da reunião ainda no início e sustentaram que só negociariam com os trabalhadores caso os ônibus voltassem à normalidade.

publicidade
publicidade
Greve dos professores será marcada por protestos em Manaus nesta segunda (22)
Ex-Flamengo, Junior Baiano fala sobre o atual momento do rubro-negro carioca
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.