Publicidade
Manaus
Manaus

Sem estrutura e segurança, ciclistas usam outros meios para fugir dos riscos das ruas

Em Manaus, o jeito é improvisar. Já em São Paulo o número de usuários da bike é cada vez maior e aumentou 40% após a criação de 300 quilômetros de ciclovias 26/09/2015 às 14:27
Show 1
O autônomo José Ferreira utiliza as trilhas da avenida das Torres para se locomover, pois considera a avenida perigosa
Isabelle valois Manaus (AM)

Para traçar o perfil nacional do ciclista de 2015, várias entidades Não-Governamentais (ONG) de cicloativistas do País estão realizando uma pesquisa simultaneamente.

Os resultados serão divulgados em um seminário nacional, que acontece na última semana de novembro no Rio de Janeiro. Nesta semana, o movimento Ciclocidade de São Paulo promoveu o lançamento da pesquisa e divulgou os resultados preliminares do perfil coletado em SP, onde comprovou que após a criação de mais de 300 quilômetros de ciclovias, houve um aumento de 40% de ciclistas na cidade.

Manaus também faz parte desta pesquisa por meio do movimento Pedala Manaus. De acordo com um dos coordenadores, Paulo Aguiar, os dados da pesquisa do perfil dos ciclistas da capital ainda não estão disponíveis. Sobre o resultado preliminar de SP e o aumento de ciclistas com a criação de novas ciclovias, Aguiar explicou que a ideia sempre é essa. “Ofereça infraestrutura e as bicicletas surgirão”, disse.

“Hoje em dia, a maioria das pessoas que não pedalam reclamam da falta de infraestrutura e segurança no trânsito. As ciclovias resolveriam parte disso. Além do mais, as pessoas que já pedalam, afirmam que pedalariam muito mais se também houvesse mais ciclovias e segurança”, explicou o coordenador com base das respostas do questionário de Manaus.

No total, Manaus possui 10,5 quilômetros de obra voltada para a bicicleta. De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), desses dados 4,5 quilômetros são de ciclovia do boulevard Álvaro Maia e 6 quilômetros de ciclofaixa na avenida Natan Xavier.

A prefeitura de Manaus prometeu entregar até o final de 2016 a extensão da ciclovia do boulevard até a Ponta Negra, Zona Oeste. Desde o surgimento da avenida das Torres, muitos ciclistas afirmam e mostram que no canteiro central da avenida poderia ser criado uma ciclovia. Mas, como sem proposta e para evitar de correr risco na via, acabaram criando um tipo de ‘ciclotrilha’, tanto indo como também voltando.

O caso do autônomo, José Ferreira, 55, por causa da renda baixa, ele sempre desde jovem adotou a bicicleta como meio de transporte. Como para se deslocar ele precisa utilizar a avenida das Torres, e sempre usa as trilhas marcadas no canteiro central da via para se locomover. “Como a pista é praticamente de alta velocidade, prefiro seguir na trilha já demarcada do que arriscar da pista. Enquanto puder evitar qualquer risco na via, vou utilizar os meios que considero apropriado”, disse.

O coordenador do movimento Pedala Manaus, também acredita que a avenida das Torres seria um local viável para ser implantado uma ciclovia.

“A prefeitura já tem um projeto nesse sentido. É a extensão da Ciclovia Ponta Negra-Boulevard. Ela chegará até a avenida das torres. Seria legal se conseguisse o projeto junto a Seminf. No total serão 33 quilômetros de extensão se concluída até o final de 2016, como prometido pela prefeitura”, comentou Aguiar.

Sudeste lidera

Dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas (Abraciclo) informam que, por não serem emplacadas e terem comercialização por meio de canais bem variados, como grandes varejistas, lojas de artigos esportivos, bicicletarias, pequeno comércio de todas as regiões do País e Internet, não é possível mensurar a venda de bicicletas segmentadas por região. Estima-se que a Sudeste lidera, com 44% das vendas, seguida da Nordeste, com 26%, e Sul, com 14%. As regiões Centro-Oeste e Norte empatam, com 8% cada.

Pontos

Cuidados para o ciclista

Usar os equipamentos obrigatórios e recomendáveis para segurança: luz vermelha na traseira da bicicleta e a branca na frente. Retrovisor, capacete, luvas, óculos e não andar descalço; Andar com as duas mãos bem apoiadas no guidão da bicicleta;

Verificar os pneus, freios e rodas antes de pedalar;

Pedalar no sentido do trânsito, nunca na contramão;

Manter a distância entre um ciclista e outro;

Pedalar sempre no lado direito da via na ausência de ciclovia ou ciclofaixa;

Respeitar as leis de trânsito;

Não andar na calçada;

Fazer manutenção das correntes, freios e calibragem dos pneus;

Hidratar-se antes, durante e depois da pedalada;

Sempre sinalizar para os demais veículos em qual sentido irá seguir;

Cuidado com as portas dos carros parados.

Publicidade
Publicidade