Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
Manaus

Sem fiscalização constante, trânsito na ruas do Centro de Manaus gera caos e reclamações

Infrações antes combatidas em operações, como a fila dupla, voltaram a ser cometidas em algumas vias do Centro de Manaus, sem nenhuma intervenção de agentes de trânsito



1.png Joaquim Nabuco: carregadores circulam de um lado para o outro levando os produtos para comércios
26/02/2016 às 12:58

Trafegar de carro ou mesmo a pé nas ruas do Centro de Manaus é uma tarefa complicada. Os veículos disputam lugar com as carretas e caminhões, enquanto, os pedestres têm que se esquivar para não esbarrar em carregadores de mercadorias. Isso mesmo com restrição em relação à circulação de veículos transportadores de carga com capacidade superior a oito toneladas, bem como, as operações de embarque e desembarque de cargas em algumas vias centrais.

A avenida Joaquim Nabuco, uma das via onde é proibido a circulação de veículos com Peso Bruto Total (PBT) acima de oito toneladas de 6h às 20h, de segunda a sexta-feira, e de 6h às 17, aos sábados, é um exemplo da grande concentração de caminhões e carretas transportadores de mercadorias. A presença desses veículos para carga e descarga em filas duplas causa uma desorganização total no fluxo, além disso, carregadores circulam de um lado para o outro da avenida levando os produtos para as distribuidoras localizadas naquela área.

Se não bastasse tudo isso, contêineres ainda são deixados estacionados em vias onde é proibido estacionar. O cenário não agrada quem vai às compras nas lojas do Centro. “Se a gente vem em carro de passeio não tem lugar para estacionar além dos estacionamentos particulares, que cobram um preço absurdo, mas observamos que para caminhões e carretas com mercadorias as vagas são reservadas”, apontou a autônoma Clarisse Pereira da Silva, 35.

Na avenida Lourenço da Silva Braga (Manaus Moderna), a confusão no tráfego de veículos também é grande. A movimentação de carga e descarga é feita principalmente pela manhã. O problema é a fila tripla que se forma em toda a extensão da orla. Os condutores de caminhões alegam que não há sinalização que indique onde pode ou não pode descarregar mercadoria, por isso, acabam fazendo essa operação na frente das próprias distribuidoras.

Outra forma que as transportadoras encontraram para driblar a norma imposta pela Zona Máxima de Restrição de Circulação (ZMRC), implementada em 2013 pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização no Trânsito (Manaustrans) em dez trechos de ruas no Centro, é utilizar caminhões menores. Ao invés de enviar carreta com contêiner, eles enviam vários caminhões baú, o que deixa o trânsito ainda mais carregado.


Na avenida Eduardo Ribeiro, no Centro, caminhão baú estaciona em fila dupla comprometendo o tráfego de veículos (Euzivaldo Queiroz)

A Portaria nº 016/2013, que regulamenta o decreto da ZMRC, determina que caminhões acima de oito toneladas não podem circular de segunda a sexta-feira, no horário das 6h às 20h, e nos sábados de 6h às 17h, nas avenidas Leonardo Malcher, Floriano Peixoto, Sete de Setembro, Joaquim Nabuco e nas ruas Governador Vitório, Tamandaré e Marquês de Santa Cruz.

Alteração por conta das obras

O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização no Trânsito (Manaustrans) informou   que, por conta das obras no Centro, estão sendo realizadas algumas alterações de circulação, estacionamento, carga e descarga na área.  Ontem pela tarde, o órgão ia realizar uma reunião com lojistas para definir critérios para as modificações.

Conforme o Manaustrans, havia áreas definidas para as operações de carga e descarga como, por exemplo, na avenida Eduardo Ribeiro, rua Saldanha Marinho e toda a parte da orla da Manaus Moderna, as quais poderiam ser realizadas de acordo com o horário estabelecido pela Zona Máxima de Restrição de Circulação (ZMRC).

O instituto informou ainda que a fiscalização é mantida em movimento no Centro da cidade e que verificadas as infrações, os condutores são autuados. As regras estabelecem ainda que o abandono de veículo de carga nas vias dentro do perímetro estabelecido pelo Decreto Municipal resulta em multa, apreensão ou remoção para o pátio do Manaustrans, sendo liberado somente após os trâmites administrativos legais.

Acima de 16 toneladas

Para os caminhões acima de  16 toneladas, a restrição de circulação vigora também de segunda a sexta-feira, no horário das 6h às 20h e nos sábados de 6h às 17h, nas ruas Marquês de Santa Cruz, dos Andradas, Quintino Bocaiúva e nas avenidas Lourenço da Silva Braga – Manaus Moderna, Joaquim Nabuco – trecho entre as ruas dos Andradas e Quintino Bocaiúva, e Floriano Peixoto.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.