Publicidade
Manaus
Manaus

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia discute alimentação em Manaus

Durante Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, agrônoma realiza atividades que chamam atenção para o desperdício 11/10/2014 às 15:02
Show 1
Estimativa da FAO indicam que 1,3 bilhão de tonelada de alimentos é desperdiçada anualmente
Jéssica Vasconcelos ---

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2014, que acontece de amanhã até 19 de outubro, traz para discussão o tema Ciência e Tecnologia para o desenvolvimento social. Durante uma semana instituições de pesquisa e universidades discutirão temas de relevância para o desenvolvimento da sociedade.

Entre os temas que serão discutidos está o desperdício de alimentos que tem preocupado a Organização das Nações Unidas (Onu). De acordo com dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), aproximadamente de 30% de todos os alimentos produzidos para consumo humano, em média 1,3 bilhão de toneladas, é desperdiçado em todo o mundo a cada ano.

Pensando em alertar a população sobre a quantidade de alimentos desperdiçados e o que pode ser feito para mudar essa realidade, a engenheira agrônoma do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) Bianca Galúcio vai apresentar durante a semana o curso “Aproveitamento integral de alimentos” e a oficina de aproveitamento de pneus para construção de canteiros.

De acordo com Bianca, as duas atividades serão ministradas no Município de Rio Preto da Eva (a 58 quilômetros de Manaus) onde é realizado o projeto “Escola Verde – Educação com os pés na terra” em dez escolas públicas. “Nosso público são as merendeiras, pois muitas vezes partes importantes de frutas e verduras são jogadas no lixo por falta de conhecimento de como aproveitar”, disse Bianca.

O projeto Escola Verde trabalha desde 2004 incentivando praticas agroecológicas, como a criação de hortas no âmbito escolar, pois só dessa forma é possível conscientizar desde cedo as crianças sobre a importância do aproveitamento de alimentos saudáveis.

A engenheira agrônoma comenta que o aproveitamento integral dos alimentos é também uma questão de segurança alimentar, pois as pessoas precisam conhecer o que consomem. “A pessoa, por exemplo, que tem uma horta em casa necessariamente conhece os temperos que está consumindo”, acrescentou Bianca.

Durante a semana produtores da Associação dos Produtores Orgânicos do Amazonas (Apoam) e da Rede Tucumã (rio Cueiras) vão expor produtos livre de agrotóxicos para os visitantes. “Nessa feira vamos trocar experiência com os produtores e visitantes sobre formas de aproveitamento”, explicou Bianca.

Alternativa

Com o espaço das casas cada vez menor, e muitas pessoas migrando para a vida nos apartamentos, encontrar alguém que mantenha uma horta está ficando raro. Para incentivar a criação de hortas, mesmo em espaços pequenos, a engenheira agrônoma Bianca Galúcio vai trabalhar também durante a semana de C&T oficinas de canteiros suspensos, pensado para pessoas que não tem muito espaço.

UEA

Na Universidade do Estado do Amazonas a programação da 11º Semana Nacional de Ciência e Tecnologia inclui visitas à Escola Superior de Tecnologia (EST) para a realização de atividades que proporcionem maior conhecimento sobre a vida acadêmica.

Laboratórios

A programação inclui visitas aos laboratórios de Metrologia, Laboratório de Materiais, Laboratório de Materiais Mecânicos, Laboratórios de Soldagem e Laboratório de Engenharia Química.

Exposições

Além disso, os alunos terão a oportunidade de conferir as seguintes exposições: “Show da Química”, “A Força da Gravidade”, “Linha de Tempo da Cartografia”, Tipos de Nuvens”, “Efeitos da Chuva Ácida”, “Formação de Tornados” e uma “Exposição de OTP”, voltada a profissionais de Engenharia da Produção.

Grupo de professores participa de curso especializado promovido pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa)

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI), por meio dos Laboratórios de Psicologia e Educação Ambiental (Lapsea) e Manejo Florestal (LMF), realiza até o próximo sábado a 12ª edição do curso “Floresta Amazônica e suas múltiplas dimensões”. A proposta é contribuir na formação continuada dos professores compartilhando conhecimentos científicos, a partir do aprofundamento de questões ecológicas e socioambientais tendo a floresta amazônica como eixo central.

De acordo com uma das coordenadoras do curso, a pesquisadora do Inpa Maria Inês Gasparetto Higuchi, o curso será de imersão na floresta durante uma semana, com aulas teóricas e práticas no próprio campo, a Zona Experimental (ZF-2) localizada no km 50 da rodovia BR-174 (Manaus - Boa Vista), onde os professores ficarão alojados.

“Todo esse processo tem o caráter pedagógico, no qual ciência e ensino se entrelaçam para uma melhor formação técnica dos professores sobre os ecossistemas florestais e o papel da sociedade frente às mudanças climáticas”, disse Higuchi.

A formação será feita com 30 professores do ensino fundamental e médio da rede estadual (capital e interior) e de escolas particulares. Os professores participantes ministram disciplinas de biologia, ciências, geografia, física, história, artes e química. Todos atuantes em sala de aula, um dos principais critérios para a participação.

Segundo Higuchi, o curso de 80 horas conta com um corpo docente formado por pesquisadores de várias áreas de conhecimento, estudantes de pós-graduação, bolsistas de pesquisa e técnicos do Inpa. O curso é realizado no âmbito do projeto INCT- Madeiras da Amazônia com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

O curso iniciou neste sábado com o transporte dos alunos-professores até a Reserva Florestal ZF-2, de onde eles só voltarão no próximo sábado.

Publicidade
Publicidade