Quarta-feira, 11 de Dezembro de 2019
Manaus

Semmas realiza curso para capacitar técnicos em estimativa de emissão de poluentes atmosféricos, em Manaus

O curso é mais uma etapa do processo de aprimoramento do corpo técnico de licenciamento ambiental da Semmas, que hoje reúne 45 servidores



1.jpg Gases emitidos por algumas indústrias possuem grande potencial poluidor
02/07/2012 às 18:33

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) realizará, a partir desta terça-feira (3), o curso Estimativas de Emissões de Poluentes Atmosféricos com a finalidade de  capacitar o corpo técnico do órgão a estimar a emissão dos Compostos Orgânicos Voláteis (COVs) no licenciamento de processos industriais. O curso acontece de 3 a 5 de julho, das 8h às 12h, no auditório da Semmas.

Os COVs são gases que têm na sua configuração Carbono e Hidrogênio, em geral emitem odor, possuem grande potencial poluidor e estão quase sempre presentes nos processos produtivos industriais. É preciso saber quantificá-los para que as empresas, no processo de licenciamento, possam adotar os mecanismos de compensação apropriados para mitigar as emissões.  



O curso é mais uma etapa do processo de aprimoramento do corpo técnico de licenciamento ambiental da Semmas, que hoje reúne 45 servidores que trabalham exclusivamente no monitoramento e concessão de licenças para todas as atividades de impacto local. A iniciativa vai permitir um maior controle por parte do poder público municipal sobre as emissões de gases poluentes e os seus efeitos nocivos.

Os cálculos que permitem quantificar as emissões já são utilizados hoje em algumas das principais capitais brasileiras, sobretudo aquelas situadas em regiões industrializadas, a exemplo de São Paulo. “Manaus já necessita dessas medidas pelo porte da cidade e o processo de crescimento pelo qual vem passando”, explica o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Marcelo Dutra.  

Compostos

Os COVs têm duas fontes emissoras – uma biogênica (quando é emitido pela própria floresta e ajuda na formação das chuvas) e a outra antropogênica (quando emitido a partir da ação do homem nos processos industriais). Quando em contato com a luz do sol, os COVs produzem Ozônio troposférico (próximo da superfície terrestre), gás que pode causar problemas de saúde (sobretudo no sistema respiratório). Em algumas situações, também pode diminuir a
produtividade agrícola. Os COVs são emitidos principalmente durante a queima de combustíveis fósseis.

Segundo Marcelo Dutra, a intenção da Semmas é primeiro capacitar seu corpo técnico para em seguida lançar uma proposta de regulamentação de emissões de COVs, pioneira no município. Recentemente, a Semmas propôs a atualização das regras e padrões para o lançamento de efluentes.

Quantificar as estimativas de emissões de Compostos Orgânicos Voláteis é importante porque  os COVs catalisam a produção de outro poluente secundário que é o Ozônio. “Na estratosfera, o Ozônio é excelente, mas próximo da superfície surte efeitos danosos”, explica Dutra.  A formação do Ozônio se dá a partir de reações fotoquímicas.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.