Sexta-feira, 05 de Junho de 2020
INFORME

Balanço da Semsa confirma 2.424 casos de Zika vírus na capital em 2016

Segundo a secretaria, outros 313 estão em processo de análise. Em mulheres grávidas, dos 1.066 casos notificados, 382 foram confirmados. Dos casos de microcefalia, nove permanecem em investigação



zika.jpg Manaus permanece em situação de emergência pela alta incidência de casos em território nacional (Foto: AFP)
22/07/2016 às 16:18

O mais recente Informe Epidemiológico sobre zika vírus, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) na quinta-feira (21) mostra que Manaus tem, até o momento, 2.424 casos confirmados de infecção pelo vírus. Outros 313 estão em processo de investigação. Desde a identificação do zika na capital, em 2015, foram notificados 5.305 casos suspeitos, dos quais 2.568 já descartados.

Em mulheres grávidas, dos 1.066 casos notificados como suspeitos 382 foram confirmados e 97 estão sendo investigados. Este é o grupo populacional que mais preocupa as autoridades de saúde pelo risco de microcefalia em bebês durante a gestação, embora Manaus tenha até o momento um único caso confirmado de microcefalia associada ao zika vírus.



De acordo com o novo Informe, 19 casos suspeitos de microcefalia foram registrados em Manaus até agora. Destes, cinco foram descartados (não se tratava de microcefalia), quatro não relação com o vírus, e nove permanecem em investigação.

O secretário municipal de saúde, Homero de Miranda Leão Neto, disse que as notificações de zika na capital continuam a ocorrer, mas com menor número de casos a cada semana. “Isso se deve às ações permanentes de vigilância e, em grande parte, à colaboração da população nas estratégias de combate ao Aedes aegypti, transmissor também dos vírus da dengue e chikungunya”, observou.

Ainda assim, Manaus permanece em situação de emergência por conta da alta incidência de zika vírus em território nacional e em países vizinhos, o que potencializa os riscos de epidemia. A situação de emergência foi decretada pela Prefeitura Municipal em dezembro do ano passado e renovada no último dia 1º de junho, por meio do decreto nº 3.331, com vigência de 180 dias.

Na prática, de acordo com Homero, a situação de emergência se traduz na intensificação dos trabalhos de controle da transmissão viral. “Nossos agentes estão atuando nos bairros da capital, sensibilizando, promovendo atividades educativas, identificação e eliminação de criadouros do vetor em residências, órgãos públicos e no comércio e, além disso, são realizadas ações de bloqueio nos locais de casos confirmados de zika”, disse o secretário.

Até o momento foram feitas pelo Disque Saúde (0800 280 8 280), 5,1 mil registros, incluindo denúncias sobre locais com possíveis criadouros. Além disso, mais de 8,9 mil pessoas já foram capacitadas para fazer o combate ao mosquito transmissor, permitindo a implantação de mais de 2 mil brigadas de combate ao Aedes.

*Com informações da assessoria de imprensa


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.