Terça-feira, 11 de Agosto de 2020
REDE DE PROTEÇÃO

Servidoras do ‘Nova Rede Mulher’ participam de curso sobre violência doméstica

Projeto atende mulheres que estão sofrendo algum tipo de agressão em suas residências ou no convívio familiar, prestando auxílio e suporte para o estancamento da violência



integracao2_173C2CED-E9E0-442F-9E67-18A7A05B8C3B.jpg Foto: Raine Luiz/Sejusc
06/07/2020 às 16:49

Com o objetivo de difundir informações a respeito da violência contra as mulheres, servidoras que vão integrar e atuar no projeto “Nova Rede Mulher” participam, de 7 a 16 de julho, de um curso de formação sobre a temática. A capacitação terá especialistas que atuam na rede de proteção e são oriundos da Polícia Civil, Defensoria Pública do Estado (DPE), Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e outros órgãos da área de enfrentamento.

O curso será aplicado, no Centro Cultural dos Povos da Amazônia, para 43 mulheres aprovadas em processo seletivo da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Aadesam), órgão parceiro do “Nova Rede Mulher”. Serão duas turmas nos horários da manhã (das 8h às 12h) e tarde (das 13h às 17h).



O curso tem carga horária de 30h. As participantes da formação são assistentes sociais, psicólogas, pedagogas, educadoras sociais e técnicas de enfermagem.

De acordo com o titular da Sejusc, secretário William Abreu, o curso é de extrema relevância para as profissionais pelo fato de abordar questões de gênero, a Lei Maria da Penha, entre outros assuntos que compõem uma perspectiva geral dos serviços oferecidos em âmbito nacional e estadual no que diz respeito à violência doméstica.

A secretária-executiva de Políticas para as Mulheres da Sejusc, Ana Barroncas, explica que a preparação vai melhorar o atendimento em setores ligados à Sejusc, como Serviço de Apoio Emergencial à Mulher (Sapem) e Centro Estadual de Referência e Apoio à Mulher (Cream).

“Vamos estar capacitando e colocando para atendimento no serviço mulheres que estão preparadas. É importante que elas saibam e tenham noção, mesmo não sendo da área jurídica, e também entendam sobre a área social. Precisamos entender esse sistema como um todo no combate à violência contra a mulher”, salientou Ana Barroncas.

A psicóloga Socorro Venâncio foi uma das aprovadas no processo seletivo. Ela diz que a expectativa é de melhorar o trabalho desenvolvido com as mulheres, principalmente as que estão em situação de vulnerabilidade.

“Além da gente estudar, aprender e desenvolver melhor o trabalho, vamos poder orientar e encaminhar para a rede de proteção. Muitas não sabem que elas têm direito ao serviço de forma gratuita”.

Nova Rede Mulher

O projeto “Nova Rede Mulher” atende mulheres que estão sofrendo algum tipo de agressão em suas residências ou no convívio familiar, prestando auxílio e suporte para o estancamento da violência, e mostrando para essas mulheres os caminhos corretos e seguros para se fazer denúncias e relatos de agressões.

A ação contempla o Eixo II de Ampliação e Fortalecimento da Rede de Serviços para Mulheres em Situação de Violência. O eixo compõe o Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, do qual o Amazonas é signatário.

*Com informações da Assessoria de Imprensa

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.