Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019
SAÚDE

Servidores do Samu denunciam más condições de trabalho e ameaçam paralisação

Funcionários pediram providências aos vereadores sobre a revisão do plano de cargos e carreiras. Além disso, eles denunciaram precariedade nos serviços de alimentação fornecidos por uma empresa terceirizada



WhatsApp_Image_2019-11-04_at_14.37.02_0CCA27EB-36CB-400E-9DF3-419975E5301B.jpeg Foto: Reprodução
04/11/2019 às 15:39

Um grupo de aproximadamente 15 trabalhadores da Saúde da capital compareceu, nesta segunda-feira (4), à Câmara Municipal de Manaus (CMM) para pedir a revisão do plano de cargos e carreiras e a retirada da empresa que presta serviço de alimentação, além de outras medidas.

Caso as reivindicações não sejam atendidas, eles devem paralisar os serviços, segundo o motorista do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Denison de Carvalho. “Se não houver uma manifestação em favor dos dez mil funcionários da Saúde, infelizmente a sociedade vai sofrer com a paralisação de parte do Samu ou de parte da Secretaria Municipal de Saúde”, destacou.



Há duas semanas, uma manifestação já havia sido realizada e, nesta manhã, os servidores retornaram até a CMM em busca de respostas. O condutor de ambulância Tácio Belizário disse esperar por uma revisão salarial na qual o trabalhador seja prioridade.

“O que está sendo reivindicado é uma gratificação de função especial que recebemos, que vem fora à parte do salário, não conta como aposentadoria ou quando o servidor tem que ficar fora da atividade de ambulância por doenças ocupacionais que ele adquiriu no trabalho. O segundo ponto é a refeição que não é satisfatória. A empresa precisa ser descredenciada. Além disso, o servidor não utiliza equipamento de proteção individual decente”, disse.

Segundo denúncias de servidores, já foram encontradas fezes de rato nas refeições e há relatos também de doenças causadas pela má alimentação dos colaboradores.

O que diz a Semsa

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) negou as acusações e disse que os “servidores do SAMU 192 Manaus recebem cinco refeições diárias de boa qualidade, não havendo registro de problemas com a empresa fornecedora”.

 “A Semsa também classifica como improcedente a reclamação sobre trabalho sem segurança e os condutores não têm nenhum problema em relação a esta questão. Em relação ao adicional de insalubridade, os servidores do SAMU 192 Manaus já recebem o percentual máximo de 7%”, complementou a secretaria.

Providências

Em ofício entregue aos vereadores, os funcionários requerem providências a respeito, principalmente, da substituição da empresa fornecedora de alimentos. Ao todo, 13 itens compõem a pauta das reivindicações, como o adicional de insalubridade, transparência na execução de contratos e licitações, entre outros.

O presidente da CMM, vereador Joelson Silva (PSDB) conversou com o grupo e informou que os pedidos devem ser avaliados nos próximos dias.

"É normal que façam reivindicações. A Casa tem essa prerrogativa. Alguma coisa já foi encaminhada para o secretário de finanças, que já está olhando as questões da pauta que para serem analisadas. Com relação à empresa que presta serviços de alimentação, será feita uma avaliação. E as outras questões precisam ser discutidas também", pontuou.

News whatsapp image 2019 05 27 at 11.54.48 8d32dbdd 4f80 4c51 b627 e3873c2e56de
Repórter
Cientista Social, Escritora e Jornalista. Repórter de A Crítica, apaixonada pela arte de contar histórias.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.