Publicidade
Manaus
Manaus

Servidores do Hemoam bloqueiam avenida em protesto contra possível saída de diretor

Despacho do governador José Melo retira do cargo atual diretor-presidente do órgão, Nelson Fraiji. Servidores da Fundação não descartam paralisação neste fim de ano 24/12/2014 às 10:51
Show 1
Servidores protestam contra despacho de José Melo
OSWALDO NETO Manaus (AM)

Mais de 100 servidores da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam) bloquearam durante uma hora a avenida Constantino Nery na tarde desta terça-feira (23). O motivo, segundo funcionários, seria um despacho do governador José Melo que retira do cargo o atual diretor-presidente do Hemoam, Nelson Fraiji, para a entrada de Lasmar Roberto.  Os trabalhadores não descartam uma possível paralisação neste fim de ano.

Segundo integrantes da Associação dos Servidores da Fundação do Hemoam (Asfham), um pleito realizado no dia 10 de outubro decidiu que Nelson ficaria no cargo por mais quatro anos. A decisão, segundo a Asfham, faz parte do regimento interno da unidade. O despacho governamental que retira Fraiji do cargo foi publicado no Diário Oficial na segunda-feira(22).  

“O que aconteceu foi uma intervenção do governador no estatuto, e tudo foi feito debaixo dos panos, sem a participação do Hemoam. Isso é um abuso contra os servidores e doadores”, disse, Teomário da Cruz, um dos integrantes da Asfham. “Foi um presente de Natal que o governador mandou pra gente, de tanto trabalhar como burro de carga”, contou Eleonora Araújo, assistente social da Fundação.

Segundo o diretor-presidente do Hemoam, Nelson Fraiji, Melo tomou uma decisão em cima de denúncias improcedentes feitas por Lasmar. “O governador tomou uma decisão em cima de fatos que não são verdadeiros. Penso que ele deve retomar essa questão, pois estou tentando conversar com ele mostrando os fatos e contraponto essas denúncias”, explicou.

Entre as denúncias feitas por Lasmar está uma suposta escolha da Comissão Eleitoral feita por Nelson, além de ele ter privilegiado membros com horas extras de trabalho pela função. Lasmar não foi localizado pela reportagem para falar sobre o assunto.

A presidente da Asfham, Maria do Perpétuo Socorro da Cruz, informou que a classe deve se reunir na próxima segunda para decidir sobre uma possível paralisação. Caso ocorra, ela afirma que os serviços de urgência e emergência irão continuar funcionando.

Nota

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou que o processo eleitoral para escolha do presidente da Fundação Hemoam foi anulado após despacho publicado na segunda-feira (22) no Diário Oficial do Estado do Amazonas.

Conforme a nota, após análise do recurso do candidato derrotado, que alegou indícios de irregularidades no processo, a Assessoria Jurídica da Susam deu parecer favorável ao cancelamento da eleição e encaminhou posteriormente para decisão da Controladoria Geral do Estado, que orientou para a nulidade do processo.

Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde, o processo eleitoral não obedeceu a Lei Delegada que rege a Fhemoam.

Publicidade
Publicidade