Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019
CRIME AMBIENTAL

Sete toneladas de pescado ilegal são apreendidas dentro de embarcação em Manaus

A mercadoria ilegal estava escondida no porão do barco oriundo do município de Codajás. Aproximadamente, cinco toneladas de pirarucu e duas toneladas de tambaqui estavam camuflados entre caixas naquele compartimento.



WhatsApp_Image_2019-10-31_at_13.38.24_DF86D6D8-F7A0-4302-B7D9-5DC90BE19801.jpeg Foto: Jair Araújo
31/10/2019 às 14:57

O Comando de Policiamento Ambiental (CPAMB) e o  Batalhão de Policiamento Ambiental (CBPAM) apreenderam na manhã desta quinta-feira (31), aproximadamente, cinco toneladas de pirarucu e duas toneladas de tambaqui, escondidas no porão do barco Comandante Kenedy VI. 

Uma denúncia feita de forma anônima ao disque-denuncia do CBPAM informou aos policias militares sobre a mercadoria. A embarcação, vinda do município de Codajás (distante 240 quilômetros em linha reta de Manaus), foi abordada pelo CPAMB e pelo CBPAM por volta das 9h no Porto do Ceasa, zona Sul de Manaus.  



Após a abordagem, o barco foi encaminhado ao Porto do São Raimundo, zona Oeste da capital, onde foi constatado a veracidade da denúncia. O Tambaqui está em período de defeso desde 1° de outubro deste ano. No caso do Pirarucu a proteção é válida pelo ano todo, conforme a Lei Federal 10.779/03.

"Para dificultar a localização da mercadoria ilegal, o pescado estava camuflado em baixo de outras caixas de papelão com mais peixe. Além da carne do pirarucu já adulto, encontramos filhote dessa espécie o que agrava ainda mais a ocorrência", declarou o tenente Henrique.  

Foto: Jair Araújo

O investigador de Polícia Civil (IPC) Wanderlei explicou que os envolvidos na ocorrência serão encaminhados para a Delegacia Especial em Crimes Contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema).

Primeiramente o proprietário da embarcação, tripulante e o conferente das encomendas foram encaminhados até a sede da especializada para prestar esclarecimentos a fim de descobrir o dono da mercadoria.

"Na especializada será instaurado o procedimento para descobrir o dono da mercadoria. Provavelmente, os três já serão indiciados pelo crime, uma vez que a Lei de Crime Ambiental engloba o  transporte do pescado ilegal e também a comercialização", pontuou o IPC Wanderlei. 

Em boa condições para consumo, o pescado apreendido será doado para instituições filantrópicas devidamente registradas na Secretaria Estadual de Assistência Social (Seas).

"Estamos dividindo os peixes em caixas para serem doados, cada instituições receberá uma caixa com, aproximadamente, 140 kilos de peixe", informou o tenente Henrique. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.