Quinta-feira, 29 de Outubro de 2020
POLÍTICA

Sete vereadores faltam na CMM um dia após início da campanha eleitoral

Sessão desta segunda-feira foi presidida pelo vice-presidente da Casa, vereador Hiram Nicolau, porque o presidente, Joelson Silva (Patriota), foi diagnosticado com o novo coronavírus



show_CMM-PLENARIO_ROBERVALDO-ROCHA-1300x737_B7F22241-1E9C-4053-98DF-1BA429366443.jpg Foto: Reprodução/Internet
28/09/2020 às 17:27

No primeiro dia após o início da campanha eleitoral com a liberação da propaganda eleitoral, sete vereadores faltaram a sessão plenária da Câmara Municipal de Manaus (CMM) desta segunda-feira (28).

Conforme levantamento da Coluna Sim&Não do jornal A CRÍTICA, apenas três vereadores de um montante de quarenta e um parlamentares municipais não vão disputar a reeleição: Hiram Nicolau (PSD), Chico Preto (DC), que disputará a Prefeitura de Manaus e Elmison Rosa (PMN), que tomou posse há pouco mais de um mês como suplente de Daniel Amaral (PSC), cassado por infideliade partidária.



A sessão desta segunda-feira que foi presidida pelo vice-presidente da Casa, vereador Hiram Nicolau, porque o presidente, Joelson Silva (Patriota), foi diagnosticado com o novo coronavírus, encerrou às 10h41.

Durante a sessão, treze vereadores falaram durante o pequeno expediente, bloco destinado para discursos cronometrados pela Mesa Diretora. Após os discursos a presidência despachou dez projetos de lei para tramitação nas comissões permanentes do Legislativo municipal.

Os vereadores que faltaram a sessão foram David Reis (Avante), Claudio Proença (PL), Elmison Rosa (PMN), Marcelo Serafim (PSB), Mauro Teixeira (Podemos), Rosivaldo Cordovil (PSDB) e Joelson Silva (Patriota).

Samuel defende Arthur

Indignado com as críticas do vereador Marrison Roger (Progressistas), contra o prefeito Arthur Neto (PSDB), que assumiu a vaga de Ronaldo Tabosa, cassado por infidelidade partidária, o 3° vice-presidente da CMM mandou Roger colocar “gasolina no carro” e percorrer a cidade.

Marrison criticou a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) pela demora na entrega de obras de infraestrutura no Puraquequara.

Samuel disse que Marrison Roger só anda em “invasão” e que as críticas têm interesse político pelo fato dele disputar reeleição. “Nunca vi um prefeito que asfaltou tanta rua (...) Prefeito Arthur não é candidato, mas está trabalhando”, defendeu o vereador emendando: “Não podemos condenar um prefeito que está entregando uma nova cidade”, finalizou.

Marrison pediu a palavra e registrou que não iria discutir com ninguém, mas “prestar contas com Manaus”. O vereador declarou que percorre as diversas zonas da cidade e que os nove meses como vereador “são bem vividos”.

Por se sentir afrontado, Samuel pediu a palavra com base no artigo 106° do regimento interno e continuou a discussão: “você querer concorrer como pré-candidato numa invasão é desonesto”, provocou.

Já incomodado com o debate entre os dois vereadores, o vice-presidente decidiu não conceder mais resposta a nenhum dos parlamentares.

Recesso branco

A CRÍTICA procurou a diretoria de comunicação da CMM para saber se a presidência havia emitido alguma dispensa informal para os vereadores cumprirem agenda eleitoral, que informou que não existe recesso branco e nem dispensa informal dos vereadores durante o período eleitoral. “As atividades parlamentares continuam normais, com realização das sessões plenárias, reunião das comissões técnicas”, diz um trecho da nota.

A diretoria de comunicação também informou que, “pela legislação vigente a frequência dos vereadores cumpre o prazo para divulgação da assiduidade no site da Câmara que é até o décimo dia do mês seguinte”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.