Terça-feira, 21 de Janeiro de 2020
Manaus

Setembro fechou com cesta básica 2,5% mais cara em Manaus

Dessa vez foi o óleo o grande ‘vilão’ das compras feitas pelas ‘donas’ e ‘donos’ de casa. O item teve seu preço alterado em (6,06%), conforme mostra pesquisa mensal do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese)  



1.jpg Conforme explica pesquisa do Dieese, à dificuldade climática encontrada pelos países produtores dos grãos que dão origem ao óleo, fez com que o Brasil exportasse mais
05/10/2012 às 13:29

O valor da cesta básica fechou o mês de setembro registrando a sétima alta consecutiva em Manaus. De acordo com pesquisa mensal realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o responsável pela alimentação de uma família teve que desembolsar (2,5%) a mais para adquirir os produtos da cesta básica, se feita a comparação com o mês de agosto.

Em setembro, o valor dos 12 itens que formam a cesta passou a custar R$ 287,82, R$ 7,1 a mais  que o mês anterior.



Novo vilão

O óleo foi desta vez o grande ‘vilão’ das compras feitas pelas ‘donas’ e ‘donos’ de casa.O item teve seu preço alterado em (6,06%), com variação de (19,5%) no calculo anual.

A resposta para isso, conforme explica pesquisa do Dieese, foi à dificuldade climática encontrada pelos países produtores dos grãos que dão origem ao óleo, o fato fez com que o Brasil passe a exportar mais, afetando a demanda interna.

A lista segue com as altas nos valores da farinha (4,95%), carne (4,15%), pão (3,84%), tomate (3,72%), café (3,44%) e arroz (2,50%). Leite (0,75%) e açúcar (0,54%) apresentaram suave aumento. Os que registraram quedas foram: manteiga (-2,36%), banana (-1,84%) e feijão (-0,40%).

O valor deixou a capital amazonense na 7º colocação entre as 17 capitais onde a pesquisa é realizada.

 


Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.