Publicidade
Manaus
TRANSPORTE COLETIVO

Sétimo dia de greve dos ônibus em Manaus causa revolta popular e cria cenário de guerra

Revoltados com a falta de transporte público, passageiros apedrejaram e incendiaram ônibus e a PM respondeu com spray de pimenta e balas de efeito moral 04/06/2018 às 11:47
Show 98
Foto: Márcio Silva
acritica.com Manaus (AM)

O sétimo dia da greve dos rodoviários em Manaus deixou não apenas a população sem ônibus, na manhã desta segunda-feira (4), como também causou medo, tensão e correria. Um cenário de guerra foi criado na região entre o Terminal 4, na avenida Camapuã, e a rotatória do Produtor, na av. Autaz Mirim.

Pela manhã, apesar da Justiça conceder liminar determinando que 75% da frota circulasse, sob a pena de multa de R$ 1 mil por hora em caso de interrupção, os rodoviários deixaram as garagens de ônibus, porém paralisaram nos terminais. Pelo menos cinco terminais foram afetados.

Revoltados com a falta de transporte público, passageiros apedrejaram pelo menos cinco veículos no Terminal 4, no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste. Eles também incendiaram mais três coletivos e ainda destruíram gradis de proteção do T4.

A Tropa de Choque da Polícia Militar foi acionada e respondeu com spray de pimenta e balas de efeito moral nos locais de maior concentração, nas avenidas Autaz Mirim e Camapuã. Há informações que dez pessoas foram presas.

Depois, cidadãos improvisaram uma passeata pedindo “Fora Arthur” e “Fora Temer” na área do Terminal 4. A revolta da população é que mesmo com a greve dos rodoviários já durando sete dias não houve nenhuma medida seja tomada pela Prefeitura de Manaus para resolver o problema. Os manifestantes usaram apitos, vuvuzelas, cartazes e até um caixão feito de papelão com as cores do Brasil.

Já na Zona Oeste da cidade, rodoviários fizeram um protesto em frente à Câmara Municipal de Manaus cobrando reajuste salarial e a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a planilha de custos da empresas de ônibus. A Casa Legislativa ficou sob protocolo de segurança para evitar conflitos.

Publicidade
Publicidade