Publicidade
Manaus
Barrancos

Com previsão de mais chuva, moradores que vivem ao lado de barrancos temem pelo pior

De acordo com a Defesa Civil de Manaus, foram registradas mais de 125 ocorrências devido à chuva da última terça-feira, e atendimento e vistoria foram realizados até esta quinta-feira (14) 15/04/2016 às 09:51 - Atualizado em 15/04/2016 às 12:18
Show capturar
A ameaça de um deslizamento de terra tira o sono de quem mora em áreas de risco e teme perder a casa durante a chuva (Foto: Márcio Silva)
Silane Souza Manaus (AM)

Os transtornos provocados pela chuva da última terça-feira, que gerou 129 ocorrências em toda a cidade, continuam preocupando a população que mora em áreas de riscos. Os deslizamentos de barranco, por exemplo, que ocorreram principalmente nas zonas Norte e Leste, além de destruir residências ainda ameaçam aquelas que continuam em pé. 

No beco Buriti, bairro Colônia Antônio Aleixo, Zona Leste, o vendedor de peixe Valmir Glória Lopes, 57, convive com o medo de a terra invadir de uma vez sua casa. No último temporal, parte do barranco de quase 20 metros de altura que fica atrás da residência dele desabou, invadiu todo o quintal e ainda uma área de lazer. Conforme ele, a família não sabe o que fazer.

“O Corpo de Bombeiros veio, mas disse que não tinha como fazer nada. Um técnico da Defesa Civil também veio depois vistoriar a área, mas disse a mesma coisa. Mandou que eu fosse à sede do órgão para assinar um documento, mas eu não fui. Se eles não podem fazer nada, o que vou fazer lá”, questionou Valmir. De acordo com ele, 11 pessoas moram no local, entre elas duas crianças.

Na rua Andiroba, 2ª etapa do Jorge Teixeira, Zona Leste, um barranco desabou e levou consigo parte da residência da autônoma Suely Gomes dos Santos, 30. A família conseguiu sair ilesa, mas ela perdeu tudo. “A gente saiu correndo porque achava que ia desabar tudo. A cozinha foi parar onde era o quarto da minha filha. A única coisa que eu não perdi foi uma geladeira, o resto foi para o lixo”, contou.

Ela conta que a situação não está fácil: está abrigada na casa de um ex-cunhado, mas as filhas, uma de 15 anos e outra de 2, não param de perguntar quando vão voltar para casa. “Não sei o que dizer para elas. Num dia você tem uma casa e no outro não tem nada. Hoje (ontem) um técnico da Defesa Civil veio vistoriar o local e condenou minha casa. Disse que eu não posso mais voltar pra lá”, contou, emocionada.

Ocorrências

De acordo com a Defesa Civil de Manaus, foram registradas 129 ocorrências devido à chuva na última terça-feira. As últimas estão sendo atendidas ontem, como é o caso da ocorrência na Colônia Antônio Aleixo. A ocorrência na rua Andiroba foi atendida, o relatório da vistoria foi encaminhado à Semasdh para atendimento social por conta do alto risco na área.

Publicidade
Publicidade