Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
Capturar.PNG
publicidade
publicidade

Transporte

Justiça deve decidir impasse entre o Sinetram e o Sindicato dos Rodoviários

Em razão do não acordo nas negociações do dissídio coletivo 2016/2017 da categoria, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 11ª Região (AM/RR) designou audiência de conciliação e instrução do dissídio de greve para o próximo dia 11 de maio


29/04/2016 às 04:10

Em virtude do não acordo entre os sindicatos das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) e dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTR), em relação ao dissídio coletivo 2016/2017 da categoria, cuja data base é dia 1º de maio, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 11ª Região (AM/RR) designou audiência de conciliação e instrução do dissídio de greve para o próximo dia 11 de maio. Caberá a Justiça decidir o conflito.

A informação é do juiz Adilson Maciel Dantas. Conforme o magistrado, o sindicato profissional e o dos trabalhadores devem organizar-se de acordo com os percentuais estabelecidos, sendo certo que até o momento não houve informação de descumprimento da liminar, no processo, que estabeleceu que 70% da frota operasse normalmente nos horários de pico caso o Sindicato dos Rodoviários realizassem algum movimento paredista.

Ontem, pelo terceiro dia consecutivo, o Sindicato dos Rodoviários realizou uma paralisação nas atividades em retaliação ao não acordo nas negociações com o Sindicato Patronal. O ato aconteceu à tarde no Terminal do Jardim Petrópolis, de onde saem às linhas 612, 610, 608.

A mesma ação foi feita na terça-feira, quando os sindicalistas paralisaram quatro linhas da empresa viação São Pedro e deixaram cerca de 5 mil pessoas prejudicadas, e na também na quarta, quando paralisaram 14 linhas da empresa Líder Transportes, que atende bairros da Zona Norte, prejudicando mais de 15 mil pessoas.

O Sinetram informou que a liminar que a Justiça concedeu na segunda-feira continua em vigor. “O órgão já informou a Justiça sobre as paralisações que houveram na terça, quarta e ontem, agora cabe a Justiça fazer a parte dela”, destacou em nota. A reportagem não conseguiu contato com a diretoria do Sindicato dos Rodoviários.

A última reunião entre o Sinetram e o STTR ocorreu no dia 25, mas não houve acordo e as negociações devem continuar. Os sindicalistas pleiteiam um reajuste de 20%, porém, O Sinetram alega que com a grave crise econômica por que passa o sistema de transporte e o país, é muito difícil um reajuste, muito menos nesse nível.

Em nota a Prefeitura de Manaus informou que está tentando contornar diariamente junto aos rodoviários, tendo conseguido impedir duas greves gerais, nesta semana, a que estava agendada para terça-feira e a de ontem.  “O poder municipal tem buscado sempre o dialogo a fim de que a população não seja prejudicada por paralisações do transporte coletivo”.

Box

Representantes do Sinetram viajaram à São Paulo, ontem, na tentativa de renegociar empréstimos feitos pelas empresas que operam no transporte coletivo de Manaus. Desde 2011, as transações bancárias viabilizaram a compra de quase mil ônibus novos e o aporte de capital de giro para pagar despesas correntes. Atualmente, as empresas estão inadimplentes em algumas parcelas dos empréstimos.

De acordo com o presidente do Sinetram, Carmine Furletti, devido à grave crise por qual as empresas e o país estão passando, as concessionárias deixaram de realizar  o pagamento das dívidas para honrar compromisso com seus colaboradores e fornecedores.

“As empresas estão fazendo o possível para honrar seus compromissos, principalmente, com seus colaboradores e fornecedores. Porém uma série de fatores afeta o sistema de transporte coletivo de Manaus, o que tem impedido o pagamento das parcelas”, disse.

Segundo ele, a reunião com os representantes dos bancos e tentar fazer acordos, de modo que os veículos não sejam apreendidos e prejudique a população que depende do transporte coletivo.

Ainda de acordo com o presidente, dentre os empréstimos, há um junto ao banco sueco EKN, intermediado pelo Banco HSBC, em dólares. Além do presidente, o Sinetram será representado pelo diretor operacional, Algacir Gurgacz.

publicidade
publicidade
Bolsonaro não vê motivos para greve dos caminhoneiros, diz porta-voz do governo
Motoristas do Amazonas vão poder parcelar IPVA atrasado em até 12 vezes
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.