Segunda-feira, 17 de Junho de 2019
PARALISAÇÃO

Greve dos rodoviários não tem prazo para acabar, diz líder da categoria em Manaus

O presidente do sindicato, Givancir Oliveira, afirmou que as empresas de ônibus ofereceram até agora 1% de reajuste salarial, mas eles só aceitam a partir de 4%



d00dbc59-babf-4c48-9067-bfade7c1f8e2.jpg Foto: Euzivaldo Queiroz
29/05/2018 às 11:38

Quatro mil rodoviários paralisaram as atividades na manhã desta terça-feira (29) em Manaus, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários e Urbano Coletivo de Manaus e no Amazonas (STTRM), Givancir Oliveira. A greve começou desde as primeiras horas da manhã e não tem prazo para acabar.

"Fizemos o possível e impossível para não fazer essa greve, mas estamos há dois anos sem reajuste salarial. Enquanto não tivermos a assinatura da convenção coletiva e o reajuste, vamos continuar parados", comentou Givancir. Segundo ele, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram) ofereceu até agora 1% de reajuste, que começaria a ser pago em agosto.

Para o líder dos rodoviários, a proposta das empresas de ônibus é vergonhosa. Segundo Givancir, eles não vão negociar até que ofereçam aumento a partir de 4%. "Cumprimos todas as ações legais para esta greve acontecer. Se o Sinetram oferecer 4% de reajuste a greve para", comentou Givancir.

Greve impedida

A paralisação dos rodoviários mesmo o Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT-11) ter proibido a paralisação e estipulado uma multa de R$ 30 mil a cada em caso de descumprimento da ordem judicial. O sindicalista Givancir afirmou que a categoria pretende recorrer da decisão. "Sei da decisão do TRT, mas vamos recorrer", disse Givancir.

O representante dos rodoviários também pediu que o prefeito de Manaus, Arthur Neto, participe das negociações com os empresários para que a greve seja suspensa o mais breve possível. "Queremos que o prefeito interceda ao nosso favor com os empresários. Ele (Arthur) prometeu aumento de salário agora em janeiro, mas não cumpriu. Espero sinceramente que ele use o bom senso", completou.

Passageiros prejudicados

Passageiros sofreram com falta de ônibus nas paradas e terminais de Manaus na manhã desta terça (29). Segundo o Sinetram, a partir das 9h30 de hoje cerca de 50% dos coletivos já circulavam nas ruas, uma estimativa de 600 ônibus. Atualmente o transporte coletivo em Manaus funciona com nove empresas, 229 linhas e 1,3 mil ônibus.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.