Quarta-feira, 11 de Dezembro de 2019
EDUCAÇÃO

Sindicato vai enviar estudo ao Governo e greve dos professores continua no AM

Após assembleia, categoria decidiu encaminhar estudo sobre perdas salariais na próxima segunda-feira (29)



WhatsApp_Image_2019-04-26_at_18.14.58_73677EE6-8C99-4A37-ADC7-32728D6D9AA9.jpeg
26/04/2019 às 18:33

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) vai encaminhar na próxima segunda-feira (29), ao Governo do Estado o estudo feito pelo DIEESE que mostra perdas do poder de compra em 10,6% referentes ao escalonamento da data-base no período de março de 2018 a fevereiro de 2019. Enquanto isso a greve dos professores da rede estadual, iniciada no último dia 15, continua.

Na última terça-feira (23), em mesa de negociação, o vice-governador Carlos Almeida disse que o Estado só está autorizado a conceder 3,93% de reajuste para os trabalhadores da educação por impedimento da Lei de Responsabilidade Fiscal, mas se comprometeu a estudar os números apresentados pelo Sinteam e, caso fossem comprovadas as perdas, o governo avaliaria a possibilidade de fazer um pedido para a Assembleia Legislativa do Estado concedendo um percentual acima da inflação.



Além dos 10,6% de perda do poder de compra dos trabalhadores, segundo o sindicato, o estudo mostra que há uma diferença de 0,81% somado aos 3,89% (IPCA) de inflação do período de março de 2018 a fevereiro de 2019, totalizando 4,73% de índice inflacionário e não 3,93% como afirma o governo do estado.

A decisão sobre encaminhar o estudo na segunda-feira foi tomada em assembleia da categoria, na tarde desta sexta-feira (26), que aconteceu na Praça do Congresso e seguiu em caminhada até o cruzamento das avenidas Eduardo Ribeiro e Sete de setembro, no Centro de Manaus. Aproximadamente mil pessoas estiveram na reunião, segundo o Sinteam.

"Vamos entregar os números e aguardar a reabertura da mesa de negociação o mais rápido possivel", afirmou a presidente do sindicato, Ana Cristina Rodrigues.

Governo

Em nota, o Governo do Amazonas afirmou que ainda não foi comunicado sobre o resultado da assembleia promovida pelo Sinteam. 

"Conforme compromisso assumido pelo Governo com os representantes sindicais na última terça-feira (23), assim que receber o estudo que vai indicar se houve percentuais residuais que deixaram de ser pagos das datas-bases de 2015 a 2018, ele será encaminhado à Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) para análise, que será feita em conjunto com representantes dos professores", diz o Executivo.

No comunicado, o Governo diz também que, além de garantir a análise dos estudos sobre possíveis perdas apresentadas, assegurou a reposição salarial de 2019 imediatamente, no percentual de 3,93%. O percentual é relativo à reposição da inflação dos últimos 12 meses.

"Foi assegurado, ainda, que o Governo vai discutir com a categoria a implementação das progressões horizontais e verticais, que têm previsão legal. As demais demandas apresentadas pelo movimento já estão em estudo para execução em curto, médio e longo prazos, a exemplo da ampliação do auxílio-alimentação, auxílio-localidade, vale-transporte para professores de 40 horas e o cumprimento do enquadramento vertical e horizontal no plano de carreiras da categoria", afirma o Governo.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.