Publicidade
Manaus
MANIFESTAÇÃO

Sindicatos realizam protesto contra reformas do Governo Temer nesta sexta (10)

Em Manaus, o ato unificado das centrais sindicais e movimentos sociais está agendado para as 16h 09/11/2017 às 18:03 - Atualizado em 10/11/2017 às 01:06
Show ato
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

O Dia Nacional de Lutas, Mobilizações e Paralisações contra as reformas do governo Temer, programado para esta sexta-feira (10), deve ser marcado por manifestações dos trabalhadores em todo o país. Em Manaus, o ato unificado das centrais sindicais e movimentos sociais está agendado para as 16h, com concentração na Praça da Polícia, no Centro, de onde sairão em caminhada rumo à Avenida Eduardo Ribeiro.

A manifestação vai reunir professores sindicalizados da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Amazonas (ADUA), profissionais de outras categorias e ainda integrantes de aproximadamente 40 entidades que já estão em mobilização contra a política do governo Temer.

O ato ocorrerá na véspera da entrada em vigor da Reforma Trabalhista (Lei nº 13.467/2017), um dos itens questionados na pauta dos trabalhadores e integrantes de movimentos sociais que vão participar do ato. Segundo eles, a Reforma Trabalhista fragiliza as relações de trabalho, retira direitos e amplia as desvantagens para o trabalhador.

Os manifestantes reivindicam ainda a revogação da Emenda Constitucional (EC) 95/17, que congela por 20 anos os investimentos públicos, e mostram posicionamento contrário à Reforma da Previdência, e o Programa de Desligamento Voluntário (PDV).

Ato Unificado

A manifestação vem sendo planejada desde outubro e as estratégias para a realização do ato unificado foram definidas em duas reuniõesrealizadas nos dias 1º e 7 deste mês, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos. Além da CSP-Conlutas, integram a mobilização a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Nova Central Sindical, além de entidades que compõem a Frente de Lutas Fora Temer e sindicatos de trabalhadores do setor público e privado.

Publicidade
Publicidade