Publicidade
Manaus
TRANSPORTE COLETIVO

Sinetram aciona Justiça para impedir greve dos rodoviários nesta terça-feira (17)

Caso haja a paralisação, Sinetram afirma que mais de 500 mil pessoas que utilizam o transporte coletivo podem ser prejudicadas 16/01/2017 às 12:50 - Atualizado em 16/01/2017 às 12:57
Show transporte
Foto: Arquivo AC
acritica.com Manaus (AM)

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) ingressou com uma ação na Justiça na manhã desta segunda-feira (16), para impedir uma possível greve dos rodoviários prevista para esta terça-feira (17), conforme havia sido anunciado pelos sindicalistas na semana passada. Caso haja a paralisação, mais de 500 mil pessoas podem ser prejudicadas.

Em documento enviado à justiça, que está com o juiz Adilson Dantas, titular da 3ª Vara do Trabalho de Manaus, o Sinetram pede que seja vetada a greve ou, caso seja deflagrada, pelo menos 70% da frota opere, pois se trata de um serviço essencial.

“Estamos aguardando o posicionamento da Justiça e esperamos que a liminar seja favorável à população de Manaus que depende do transporte coletivo. A ação foi enviada hoje pela manhã e esperamos que ainda nesta segunda tenhamos um desfecho positivo”, destaca o assessor jurídico do Sinetram. Fernando Borges. 

De acordo com a assessoria jurídica do Sinetram, a ameaça de greve se dá por motivos já rechaçados pelo TRT em decisões ano passado, referentes ao Dissídio Coletivo de 2016 que está sub judice no Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Ainda segundo o departamento jurídico, a data base da categoria é apenas no da 1º de maio, e o Sinetram tem até lá para discutir essa questão com a categoria. O problema da segurança pública, outro motivo alegado pelo sindicato dos trabalhadores, é de responsabilidade do Estado, não cabendo às empresas serem responsabilizadas por isso, do ponto de vista trabalhista.

Publicidade
Publicidade