Publicidade
Manaus
DESCUMPRIMENTO

Sinetram afirma que paralisação irregular de rodoviários será levada à Justiça

Segundo o sindicato das empresas, desobediência pode acarretar multa de R$ 50 mil aos sindicalistas. Trabalhadores paralisaram as atividades na manhã desta quinta-feira (17) por duas horas. 17/11/2016 às 15:48
acrítica.com Manaus (AM)

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) vai informar ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) sobre o descumprimento da liminar concedida pela desembargadora Francisca Rita Albuquerque, que determinou que os rodoviários não realizem qualquer tipo de paralisação no transporte coletivo. De acordo com o sindicato, a desobediência pode acarretar multa de R$ 50 mil aos sindicalistas.

Na manhã desta quinta-feira (17), membros do sindicato dos rodoviários paralisaram as atividades do transporte coletivo por cerca de duas horas, no Terminal de Integração 1, no Centro da capital. Nesse intervalo, mais de 400 ônibus ficaram parados, principalmente, na avenida Constantino Nery e também em ruas adjacentes. Estima-se que mais de 250 mil pessoas foram prejudicadas.

O motivo alegado pelos trabalhadores para a paralisação é a falta de segurança e a proposta de um novo sistema de cobrança de passagens nos coletivos que iria retirar dos coletivos a figura do cobrador. No último domingo, um motorista da linha 093, da empresa Global Green, foi assassinado durante uma tentativa de assalto na zona leste de Manaus. Ontem, A CRÍTICA revelou proposta experimental elaborada pela Secretaria de Segurança Pública e Ministério Público do Estado (MPE) que visa acabar com o pagamento das passagens em dinheiro, o que motivaria a demissão de 1,2 mil cobradores. 

O ato de protesto ocorreu, também, dois dias após a Justiça proibir a greve geral que havia sido anunciada pela categoria para esta quarta-feira (16), cobrando a assinatura do acordo coletivo referente ao dissídio 2016/2017.

De acordo com o diretor jurídico do Sinetram, Fernando Borges, as empresas e nem a população foram comunicados sobre a paralisação. Além disso, os rodoviários desobedeceram a liminar expedida pelo TRT na última terça-feira (15).

“Mais uma vez não fomos comunicados sobre essa paralisação. Já há uma liminar em vigor e vamos comunicar a justiça sobre o descumprimento dela. As pessoas não podem ser penalizadas pelo ato dos sindicalistas e os mesmos não serem punidos”, destacou Borges.

Liminar

Na última terça-feira (15), o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) acatou o pedido feito pelo Sinetram e determinou que os membros do Sindicato dos Rodoviários não realizassem paralizações no sistema de transporte coletivo. Com o descumprimento, o Sindicato pode ser multado em até R$ 50 mil por dia.

Publicidade
Publicidade