Segunda-feira, 22 de Abril de 2019
publicidade
1054982.JPG
publicidade
publicidade

PROPOSTAS

Sinetram e rodoviários discutem propostas do dissídio coletivo dos trabalhadores

Atualmente o salário dos motoristas é de R$ 2.093,98, cobrador R$ 1.046,98, administrador de linha R$ 2.293,54, tíquete alimentação de R$ 12,50, vale-lanche de R$ 6,50, cesta básica de R$ 210,60 além do plano de saúde


26/04/2016 às 14:25

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) se reuniu com representantes do sindicato dos rodoviários, nesta segunda-feira (25), para discutir propostas do dissídio coletivo dos trabalhadores. Durante a reunião não houve acordo e as negociações devem continuar. A data base da categoria é dia 1º de maio.

Atualmente o salário dos motoristas é de R$ 2.093,98, cobrador R$ 1.046,98, administrador de linha R$ 2.293,54, tíquete alimentação de R$ 12,50, vale-lanche de R$ 6,50, cesta básica de R$ 210,60 além do plano de saúde.

O assessor jurídico do Sinetram, Fernando Borges, informa que os rodoviários querem um reajuste de 20%, porém, com a grave crise econômica por que passam o sistema de transporte e o país, é muito difícil um reajuste, muito menos nesse nível.

“Fizemos algumas reuniões com os rodoviários, porém ainda não houve acordo. É difícil haver reajuste dado o contexto atual. Mas vamos continuar as negociações com o sindicato para chegarmos a um acordo, de modo que ninguém seja prejudicado”, destaca Borges.

Liminar contra greve

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) acatou, na noite desta segunda-feira (25), o pedido feito pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) e estabeleceu que 70% da frota operasse normalmente nos horários de pico caso o Sindicato dos Rodoviários realizassem algum movimento paredista nesta terça-feira (26). A medida visa evitar maiores transtornos à população usuária do transporte coletivo.

A decisão foi tomada pelo juiz convocado do TRT da 11º Região, doutor Adilson Maciel Dantas, o qual determinou ao Sindicato dos Rodoviários que mantenha 70% dos trabalhadores em atividade nos coletivos nos horários de maior movimento. Caso houvesse o descumprimento da decisão judicial, o sindicato dos trabalhadores poderia ser multado em R$ 50 mil por hora e R$ 100 mil por empresa, caso impedisse a saída dos ônibus.

*Com informações da assessoria de imprensa

publicidade
publicidade
Doze pessoas ficam feridas durante colisão entre ônibus em Manaus
Greve dos professores será marcada por protestos em Manaus nesta segunda (22)
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.