Publicidade
Manaus
Manaus

Sinetram negocia pagamento do FGTS

Nesta quinta-feira (18), o Sinetram participa de uma nova reunião junto com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), o Sindicato dos Rodoviários e a Superintendência Municipal dos Transportes Urbanos (SMTU) 17/07/2013 às 09:46
Show 1
Rodoviários prometem paralisação nesta sexta (19)
acritica.com Manaus (AM)

As empresas Rondônia Transportes, Transtol Transportes, Integração Transportes e Global Green deram entrada, junto à Caixa Econômica Federal (CEF), no pedido de parcelamento do depósito do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), nesta quarta-feira (17), segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram).

A medida foi tomada para que a pendência junto aos trabalhadores seja quitada. Segundo a assessoria jurídica do Sinetram, as empresas estão dispostas a negociar suas dívidas e minimizar os transtornos aos usuários.

Ainda de acordo com o Sinetram, as empresas Expresso Coroado, Açaí Transportes, Viação São Pedro, Via Verde Transportes, Líder Transportes e Veja Transportes estão com a situação de FGTS regularizadas junto à Caixa Econômica. “As empresas tem ciência de que o FGTS é um direito do trabalhador que está constituído na Lei e, por isso, estão se regularizando. Hoje, quatro empresas que estavam com seus compromissos atrasados já solicitaram à Caixa Econômica o parcelamento da dívida. As demais já estão com seus compromissos regularizados”, informou o assessor jurídico do Sinetram, Fernando Borges.

O assessor jurídico disse que todas as medidas cabíveis estão sendo adotadas pelo Sinetram para que a população manauara que depende do transporte coletivo diariamente não venha ser prejudicada com novas paralisações. Nesta quinta-feira (18), o Sinetram participa de uma nova reunião junto com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), o Sindicato dos Rodoviários e a Superintendência Municipal dos Transportes Urbanos (SMTU).

60% dos ônibus

O Sinetram enviou ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), comprovantes de regularidade de depósito no FGTS de seis empresas e o pedido de parcelamento de outras quatro, além de um documento formalizando ao órgão um acordo para que, em caso de greve na sexta-feira (19), as empresas possam operar com um patamar mínimo de 60% da frota. “Sabemos que o Sindicato dos Rodoviários pretende realizar a greve na próxima sexta-feira, então estamos nos adiantando para garantir um patamar mínimo de ônibus nas ruas”, explicou Fernando Borges, informando ainda que a decisão pode sair nas próximas horas.

*Com informações da Assessoria de Comunicação

Publicidade
Publicidade