Publicidade
Manaus
INFRAESTRUTURA

Situação de ponte preocupa moradores de bairro da Zona Centro-Sul de Manaus

Populares estão com medo de que a qualquer momento ocorra uma tragédia no local, que é caminho para a Seminf 26/05/2017 às 05:00
Show ponte0888
Passagem de carros pesados preocupa os moradores da região. Foto: Euzivaldo Queiroz
Isabelle Valois Manaus

A ponte do beco Solimões, localizado na rua Severiano Nunes, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul, tem apresentado a cada novo dia sinais que a qualquer momento irá despencar no igarapé por conta da falta de manutenção. A situação está tão crítica que as casas mais próximas à ponte também apresentam rachaduras nas paredes. Quem mora nesta área se revolta ainda mais, pois a local do problema está a poucos metros Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf).

A vendedora Socorro Oliveira, 52, uma das moradoras da rua que está com a casa completamente rachada, disse que há anos não há nenhuma manutenção na via e muito menos na ponte, que, por conta disso, tem aparentado que a cada a dia está cedendo e levando consigo as casas que estão mais próximas. “Minha casa é totalmente rachada. Eu e minha família tentamos de tudo para tirar as rachaduras, mas a cada dia a situação só piora principalmente quando chove, pelo simples fato de não existir nenhuma manutenção nessa área”, reforçou.

Conforme a Socorro a situação piora com as chuvas, pois as águas entram nas casas dos moradores, o que colabora para que o solo fique mais encharcado e com isso há uma possibilidade maior do solo ceder e a ponte e as casas desabarem. “Nesse trecho, há um fluxo de veículo intenso, principalmente os pesados e isso colabora ainda mais para que a ponte venha arriar. Meu medo é de a qualquer momento ocorra algum desastre. E fora que estamos bem perto do órgão responsável pela infraestrutura da cidade e nada é feito, nem ao menos interditam esse trecho”, disse.

Para o operador de máquina Roberto da Silva, 35, a secretaria só não interdita a via pelo simples fato de ser umas das vias mais utilizadas pelos funcionários da secretaria para chegar ao órgão. Outro problema apresentado pelo operador é a falta de sinalização de uma lombada que está quase em cima da ponte.

“Como essa via é uma ladeira, os motoristas pegam o embalo e passam com velocidade e nem conseguem ver a lombada, pois não está pintada. O peso além de deixar a lombada com alguns desníveis no asfalto também auxilia para que a ponte venha a ceder, pois é isso que tem ocorrido”, comentou Silva.

O metalúrgico Ribamar Alves Júnior, 53, além de reforçar a atenção para a situação no qual está a ponte, ele também citou a falta de calçadas neste trecho do beco Solimões. “Não há calçadas, os pedestres precisam brigar por um espaço junto aos carros e também ao lixo, pois todo lixo do beco é depositado neste trecho da ponte. A situação aqui é bem crítica”, disse o trabalhador.

Local será vistoriado
A Seminf informou que uma equipe de engenharia vai fazer um levantamento no local. Além disso, a secretaria informou que o vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta, desde que assumiu o sistema de infraestrutura da cidade, está focando em ações emergenciais para montar uma força-tarefa tanto para infraestrutura básica; como para as obras públicas, que incluem implantações e reformas de pontes.

De acordo com a secretaria,  Marcos Rotta irá buscar mais recursos para dar celeridade as ações de infraestrutura na cidades por meio da Seminf.

Sobre a sinalização da lombada, até o fechamento desta edição o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) não havia respondido quais os proceimentos seriam adotados para recolocar a sinalização nesta área.

O desafio para trafegar nas vias
Muitas ruas de Manaus estão tomadas por buracos e problemas de ondulações no asfalto, causando transtornos para quem trafega pelas vias. É preciso ter cuidado e atenção redobrada para evitar qualquer tipo de acidente.

Rachaduras nas casas
A rua Severiano Nunes, está a poucos metros da Seminf. Nesta via, está a ponte do beco Solimões,  que a cada dia tem arreado. As casas mais próximas da ponte apresentam várias rachaduras. Os moradores estão com medo de a qualquer momento tudo venha desabar.

Publicidade
Publicidade