Publicidade
Manaus
Manaus

Sob protesto, ministro recebe título de cidadão de Manaus

Alexandre Padilha, Ministro da Saúde, recebeu das mãos de Arthur Neto o título de cidadão de Manaus. 22/07/2013 às 23:31
Show 1
Padilha recebe a placa das mãos de Arthur Neto
BRUNO STRAHM Manaus (AM)

Em solenidade na noite desta segunda-feira (22) no Centro Cultural Palácio Rio Branco, Centro de Manaus, o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha recebeu das mãos do Prefeito Arthur Neto, uma placa de homenagem dando-lhe o título de cidadão de Manaus.

Médicos ligados ao Sindicato de Médicos do Estado do Amazonas (Simeam) realizaram um protesto pacífico do lado de fora do Palácio.

A homenagem foi uma forma de agradecer o repasse de uma verba de R$ 85 milhões de reais que o governo federal destinou à reforma das Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade de Manaus.

“Agora como filho desta cidade minha responsabilidade aumenta, vocês sempre irão poder comigo e com o Ministério que represento para ajudar Manaus”, agradeceu Padilha em discurso.

De acordo com o titular da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) Evandro Melo, as primeiras reformas nas UBS deverão acontecer ainda no fim deste ano. “Serão transformadas e ao mesmo tempo requalificadas, a população irá sentir a melhora em 45 unidades, transformadas em módulos, ampliando o serviço de atenção primária da saúde para 200 mil pessoas”, afirmou o secretário.

Protesto Médico

Antes da chegada do ministro, um grupo de cerca de 20 médicos de diferentes especialidades realizou um protesto pacífico em frente o Palácio Rio Branco, empunhando faixas com palavras de ordem.

Eles reivindicavam melhorias no sistema de saúde, nas condições de trabalho e exigiam um encontro com o Ministro para que ele os ouvisse. O encontro pedido não aconteceu e o Ministro teve de entrar no local sob gritos de “traidor da classe médica” e “judas”.

“O Ministro Padilha é persona non grata na cidade de Manaus. O que falta é estrutura e não médicos no nosso país”, afirmaram os manifestantes.

Alexandre Padilha em entrevista coletiva não fugiu do assunto e comentou a manifestação contra sua presença na cidade. “Sou médico de formação, mas agora ocupo o posto de Ministro, preocupado com a saúde de 200 milhões de brasileiros. Este interesse está acima de qualquer interesse específico de qualquer categoria profissional, não se faz saúde sem médicos. Não estamos trazendo médicos de fora do país, estamos levando médicos para o interior do Brasil, este é o debate, e vamos até o fim”, finalizou.

Publicidade
Publicidade