Sábado, 25 de Maio de 2019
balanço

Sobe para 63 o número de foragidos recapturados dos presídios de Manaus

Coronel refutou declarações de que número de foragidos seja maior de que o anunciado oficialmente. "Quem falou que responda por isso", afirmou major Jorge Rabelo



WhatsApp_Image_2017-01-03_at_17.14.08.jpeg
Buscas estão sendo intensificadas nas proximidades dos presídios (Foto: Márcio Silva)
04/01/2017 às 17:40

O Comitê de Gerenciamento de Crise montado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM) divulgou na tarde desta quarta-feira (4) um novo balanço dos trabalhos de recaptura de presos foragidos do sistema prisional do Estado. Até o momento, 63 fugitivos foram recapturados, sendo 32 do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e 31 do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat). Restam recapturar 121 presos dos 184 que fugiram originalmente.

Sobre o trabalho de recaptura dos presos, o comitê informou que há um reforço de todas as polícias e negou que a sociedade esteja com policiamento prejudicado. "A cidade não está desassistida. O sistema de segurança pública não é composta apenas da PM. A Polícia Militar e a Polícia Civil estão se revezando no trabalho, inclusive os de folga estão sendo acionados. A Polícia Rodoviária Federal também a está nos ajudando", disse o major Jorge Rabelo, adjunto da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). "A PM está com um esquema diferenciado. As viaturas se revezam para que não fique faltando atendimento à sociedade".

Sobre boatos de mil foragidos, ao invés da quantidade divulgada até o momento, o coronel Oliveira Filho também negou os números. "Os números oficiais são esses. Quem passou qualquer outro tipo de número, não vou tecer comentários, não vou criar conjectura. Não vou aumentar nem diminuir, estamos fazendo essa coletiva justamente para entregar os números. Qualquer outra situação, quem falou responde por isso", disse Rabelo.

Sobre a situação dos presos ameaçados que foram transferidos para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, o adjunto da Seap afirmou que o local está funcionando normalmente. "A Vidal está hoje com portão trancado, os presos estão divididos em celas, tomando banho de sol, recebendo alimentação e com os direitos garantidos. A questão do artefato explosivo foi uma questão de segurança. Inclusive a gente vai verificar a possibilidade de ter um grupo da OAB lá dentro. São detentos ameaçados de morte por questão de dívida ou rixa, não apenas PCC. Mas a situação está tranquila".


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.