Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2020
Manaus

"Sou refratário a atitudes preconceituosas", diz juiz que autorizou casamento gay no AM

Juíz amazonense autorizou o casamento civil de dois casais homossexuais. Jurisprudência do STF possibilitou a decisão



1.jpg Dídimo Santana Barros de Filho fez história esta última semana
08/12/2012 às 16:24

Ele fez história ao autorizar, de uma só vez, o casamento civil de dois casais homosexxuais. Dídimo Santana Barros Filho, juiz da Vara de Registros Públicos e Precatórias da Comarca de Manaus, explica nessa entrevista os fundamentos utilizados por cortes Superiores, que equipararama união estável entre pessoas do mesmo sexo à entidade familiar..

Em  2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu, por unanimidade, a união estável entre pessoas do mesmo sexo em todo o território nacional. Qual análise o senhor faz dessa  decisão?



A Justiça percebeu uma realidade e reconheceu a existência homoafetiva e ao mesmo tempo possibilitou a proteção jurídica dessas relações. Até então essas uniões estavam a margem, ficavam escondidas, pois os casais não tinham coragem de assumir publicamente. Foi muita sensibilidade do Supremo ao perceber a realidade e dar dignidade as essas pessoas.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.