Publicidade
Manaus
Manaus

SSP-AM reage a fim de semana de terror e diz que crimes ocorridos serão desvendados

'Ações como essas não são e nunca foram toleráveis no nosso Estado e, a determinação é combater os crimes de homicídios', disse chefe do órgão 23/03/2015 às 21:24
Show 1
Segundo Fontes, elucidar e diminuir homicídios são prioridade máxima para que nenhum homicida fique impune
Joana Queiroz Manaus (AM)

O secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Sérgio Fontes, disse nesta segunda-feira (23) que os assassinatos que vem ocorrendo em Manaus estão sendo praticados por pessoas pagas pelo narcotráfico e que estes crimes são motivados por dívida de droga e briga por espaço. “Ações como essas não são e nunca foram toleráveis no nosso Estado e, a determinação é combater os crimes de homicídios”, disse Fontes. 

O secretário disse ainda que elucidar e diminuir homicídios são prioridade máxima para que nenhum homicida fique impune. Segundo ele, a Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai), a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) e outros departamentos técnicos da segurança estão trabalhando para elucidar todos os casos.

O titular da DEHS, Ivo Martins, disse, também nesta segunda-feira, que as investigações do crime do sócio-gerente da loja de bicicleta, Marcos Gusmão Pedrosa, de 49 anos, estão adiantadas e a polícia tem duas pistas, uma delas poderá levar aos autores do crime. “Acredito que ele foi pego por engano e que o alvo dos criminosos era outra pessoa. A elucidação deste crime é prioridade para nós”, afirmou o delegado. Ivo Martins disse que não poderia adiantar mais informações para não atrapalhar as investigações. 

Dos 11 crimes que aconteceram no fim de semana, o delegado disse que a polícia já está trabalhando para chegar aos autores e que a polícia já tem informações da maioria dos casos.

Na manhã desta segunda-feira, a ex-mulher de Marcos, a comerciante Ana Paula Viga, esteve na DEHS onde foi ouvida em termo de declaração. Para a imprensa, ela disse que não tinha nenhum suspeito de ter cometido o crime. Para ela, ele foi pego pelos criminosos depois que saiu do curso de pós-graduação.

Marcos foi morto com um tiro na cabeça e teve as mãos amarradas com uma tira vermelha. O corpo foi jogado no igarapé da Cachoeira Alta do Tarumã, na zona Oeste da capital. “Ele ficou de pegar o nosso filho na minha casa para passar o fim de semana com ele e não apareceu”, disse a mulher.

O carro em que a vítima estava, uma Saveiro de cor branca - que segundo informações da polícia, está em nome do empresário Jorge Filho -, foi abandonado por dois homens que tentaram furar uma barreira policial no bairro da Paz. Eles deixaram o carro e fugiram. Os mesmos levaram a mochila da vítima onde tinha um notebook, o celular e outros pertences.

O crime do traficante de droga Ademar Mendes Filho, 26, assassinado com 12 tiros na noite do sábado também está com as investigações adiantadas. De acordo com o delegado, a população está colaborando com a polícia e passando informações, que estão sendo checadas e dentre as quais, algumas já foram confirmadas. 

Até esta segunda, o delegado ainda não tinha nenhuma pista que levasse aos autores do tiroteio ocorrido no beco Cruzeiro, bairro Compensa 2. Segundo os moradores, o local foi invadido por quatro homens com os rostos cobertos e calçando coturnos.

Retrato falado

A delegada adjunta da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Aline Lima, divulgou também nesta segunda o retrato falado do suposto assassino do ciclista Wagner Luiz da Silva Correia, 32, assassinado com um tiro na cabeça.

O crime ocorreu no dia 14 de agosto do ano passado, quando Wagner pedalava pela rua Rondônia, no conjunto Eldorado, bairro Parque Dez, Zona Centro-Sul de Manaus. 

A delegada informou que o retrato falado do suposto assassino foi elaborado por técnicos do Instituto de Identificação (IC) com base em informações passadas por uma testemunha ocular do crime.

Aline disse ainda que com a divulgação da imagem, a polícia espera que a população colabore passando informações sobre o paradeiro dessa pessoa. “Qualquer informação pode ser passada para polícia por meio do disk-denúncia  181 da Secretaria de Segurança Pública (SSP), ou pelos telefones da delegacia (92) 3636-2834. 3636-2874. A identidade será mantida sob total sigilo”, informou a delegada. 

De acordo com informações passadas pela polícia, Wagner fazia parte de um grupo de ciclistas. Nessa noite, ele foi pedalar e depois passou na casa na namorada no conjunto Eldorado. No momento em que retornava para a sua casa foi alvejado com um tiro na cabeça. O crime aconteceu por volta das 22h.

Testemunhas contaram que Wagner deixou a namorada em casa e seguia de carro modelo Palio de placas OAL-3385, pela rua Rondônia, e parou o veículo, modelo Pálio, no acostamento da via.

Instantes depois, ele foi surpreendido pela presença de um homem que efetuou o disparo fatal. Testemunhas acreditam que o homicídio aconteceu depois de Wagner ter reagido a um suposto assalto.

Publicidade
Publicidade