Publicidade
Manaus
VARREDURA

SSP e Seap divulgam balanço da revista feita na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa

No local, foram encontrados 43 armas brancas, 23 celulares, 3 videogames, drogas, uma “tereza” e até arma de brinquedo 31/01/2017 às 17:41 - Atualizado em 31/01/2017 às 17:48
Kelly Melo Manaus (AM)

A Secretaria de Segurança Pública  (SSP-AM) e a Secretaria da Administração Penitenciária (Seap) apresentaram, na tarde desta terça-feira (31), um balanço da revista realizada na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro, durante toda a manhã. No local, foram encontrados celulares, videogames e até uma arma de brinquedo. 

Ao todo, aproximadamente 700 homens do Exército, Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros e a própria Seap participaram da varredura na cadeia, que contou com a utilização de equipamentos de ponta para localizar objetos escondidos. 

Na operação foram encontrados 23 celulares, 41 acessórios de celular, 43 armas brancas (estoques e facas), uma “tereza” (corda feita de panos), um simulacro de arma de fogo, assim como três jogos eletrônicos e porções de entorpecentes. 

Na avaliação dos órgãos de segurança, o resultado foi considerado positivo e dentro do esperado. “Diversos objetos apreendidos foram encontrados com o auxílio dos equipamentos de detecção de metais utilizados pelo Exército. E o uso dessa tecnologia é um fator importante. Além disso, uma varredura feitas apenas com a Polícia Militar tem uma capacidade limitada. Com as Forças Armadas, essa capacidade aumenta e acreditamos que essa dinâmica será bastante eficiente para fazer essa limpeza nos presídios”, destacou o secretário executivo de Planejamento e Gestão Integrada, Dan Câmara. 

De acordo com o secretário da Seap, Cleitman Coelho, a Raimundo Vidal Pessoa é a única que ainda apresenta sinais de tensão. No entanto, ele destacou que a crise no sistema penitenciário está sendo controlada. “Nossa preocupação foi de estabilizar o sistema e ainda temos um pouco de tensão na Vidal e precisamos avançar para abrir a cadeia para os familiares, visita e atendimento dos advogados. A partir disso, nós vamos implementar a ações de reintegração social  da população carcerária”, explicou, ao mencionar que os internos da cadeia pública ainda cumprem punição pelo ocorrido no dia 1º de janeiro, no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), e pelas quatro mortes ocorridas no dia, na própria Vidal Pessoal. A punição encerra no próximo dia 8 e depois dessa data é que as visitas devem ser normalizadas na cadeia.  

Na visão do tenente coronel Sérgio Oliveira, do Comando Militar da Amazônia, a revista realizada na cadeia pública foi considerada como um trabalho embrionário e deve ser melhorado paras as próximas operações dessa natureza. “Identificamos alguns aspectos que precisam ser aperfeiçoados pelo Exército Brasileiro e vamos trabalhar para que as próximas revistas aconteçam de forma mais eficiente do que foi feito hoje”, afirmou ele, sem mencionar que outras unidades prisionais devem passar pelo “pente-fino”.

Publicidade
Publicidade