Conquista

Startup amazonense que desenvolve projeto de barco voador recebe prêmio do ITA Challenge

O barco voador garantiu o segundo lugar no ITA Challenge, competição que visa difundir a cultura de empreendedorismo e inovação na comunidade acadêmica

Portal A Crítica
24/11/2021 às 16:36.
Atualizado em 08/03/2022 às 20:09

(Foto: Divulgação)

A AeroRiver, startup amazonense com seu projeto de um Barco Voador (Ecranoplano), garantiu o segundo lugar no ITA Challenge, competição que visa difundir a cultura de empreendedorismo e inovação na comunidade acadêmica.

O desafio busca estimular o espírito empreendedor dos alunos e desenvolver suas habilidades em criar, desenvolver e gerir negócios criativos e inovadores em equipe, demonstrando a viabilidade técnica e comercial de suas ideias, aliando o conhecimento teórico ao prático.

A competição é uma iniciativa do Laboratório Aberto CCM-ITA e do Centro de Competência em Manufatura do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (CCM-ITA), e acontece anualmente desde o ano de 2013. 

Segundo Lucas Guimarães, um dos fundadores da Startup que cursa Doutorado em Engenharia Aeronáutica, a "AeroRiver está projetando um veículo de efeito solo (barco voador) adaptado às condições operacionais do território amazônico. A aeronave terá a capacidade de transporte de 10 passageiros ou o equivalente a uma tonelada em carga, com velocidade de cruzeiro em torno de 150 km/h. "A decolagem e pouso serão feitas nos rios, utilizando o casco desenvolvido para esse propósito e pode revolucionar o transporte na Amazônia", disse.

Foto: Divulgação

A região Amazônica é extensa em território e a conexão entre as suas cidades é feita majoritariamente pelos rios. O veículo de efeito solo (barco voador) é até 300% mais rápido que as embarcações mais rápidas utilizadas para transporte atualmente na região. A questão da sustentabilidade e do impacto ambiental foram diferenciais apresentados pelo AeroRiver que fizeram o projeto se destacar na competição.

A busca de soluções para o transporte de cargas e pessoas na Amazônia, cujo principal meio de transporte é o fluvial, pois o transporte aéreo convencional com seu alto custo, rotas limitadas e cada vez mais reduzidas e o transporte rodoviária que prescinde da construção de estradas com alto impacto ambiental à floresta e suas populações, apontam um grande desafio que AeroRiver se propõe a solucionar com maior eficiência e menor impacto ambiental. 

Para Felipe Bortolete, outro fundador da AeroRiver, que é doutorando em Engenharia Aeronáutica, "uma outra grande vantagem desse veículo é a independência sazonal à região, isso quer dizer que ele está pronto para operar até mesmo na época de seca dos rios podendo, portanto, manter a regularidade no transporte de pessoas e cargas de toda a Amazônia, sempre com a mesma velocidade, além de ser 50% mais econômico que as demais aeronaves e além disso dispensa custos elevados de infraestrutura e manutenção de aeroportos, tendo em vista que a sua operação é feita exclusivamente na água totalmente adequada à nossa região".

Para maiores informações sobre o AeroRiver, acesse: https://www.aeroriver.com.br/

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por