Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Manaus

Subsecretário da Semed é exonerado após denunciar suposto esquema

O mal estar provocado pela declaração do então subsecretário foi fator crucial para sua demissão. “Não tenho o que falar, a edição do jornal diz tudo”, afirmou Pauderney Avelino, titular da pasta



1.jpg Deusamir Pereira, provocou uma verdadeira ‘saia justa’ na gestão tucana
17/09/2013 às 11:24

Após denunciar ao Jornal A Crítica a existência de uma “quadrilha” dentro da Prefeitura de Manaus para “assaltar o dinheiro da educação”, Deusamir Pereira (PSDB) foi exonerado do cargo de subsecretário de gestão educacional da Secretaria Municipal de Educação (Semed). A decisão foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM) do última sexta-feira (13).

O mal estar provocado pela declaração do tucano foi fator crucial para a sua demissão. Foi o que deu a entender o titular da Semed, Pauderney Avelino, que em conversa com a reportagem preferiu não ampliar comentários sobre o caso. “Não tenho o que falar, a edição do jornal diz tudo”, afirmou.

Avelino disse que deve se reunir ainda nesta semana com o prefeito Artur Neto (PSDB) para avaliar de quem será a responsabilidade de ocupar a vaga deixada por Pereira.

“Será um trabalho em conjunto”, adiantou, evitando citar possíveis indicações para o cargo em aberto.

Entenda o caso

No momento em que a Prefeitura de Manaus anunciava medidas para acabar com o aluguel de prédios para abrigar escolas, anexos ou depósitos vinculados à Semed, o então subsecretário municipal da educação Deusamir Pereira provocou uma verdadeira "saia justa", afirmando que “uma quadrilha estava dentro da prefeitura para assaltar o dinheiro da educação”.

Na ocasião, ele disse que as despesas com aluguel de imóveis custa para os cofres do município um montante estimado em R$ 29 milhões por ano.

As declarações de Pereira minutos após a abertura do I Encontro Municipal de Educação da Região Metropolitana de Manaus (RMM) realizado na Câmara Municipal de Manaus (CMM), foram mais além.

“É um negócio sujo e chega a contaminar parte do tecido e nós precisamos extirpar esse câncer. Há casos desses em que o secretário Ulisses Tapajós (titular da pasta de Finanças) está atento a esse detalhe num verdadeiro processo de reciclagem das contas”, afirmou.

No mesmo dia da declaração, Pauderney Avelino foi questionado sobre o caso e declarou que desconhecia qualquer “quadrilha” dentro da Prefeitura. “A gente aluga os imóveis pela necessidade de colocar os alunos em sala de aula. Honestamente não fazemos isso por gosto. Fazemos em razão da dificuldade de conseguir locais para construir as escolas”, havia dito.

Quatro dias depois, Pereira foi à Câmara Municipal de Manaus (CMM) para se explicar e se desmentir, sem saber que a reportagem do Jornal A Crítica tinha sua afirmação gravada em áudio.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.