Publicidade
Manaus
ACIDENTE

Sueca morta em queda de avião no Amazonas demonstrava amor pela natureza

Carolina Josefina Nyberg Steiser, de 29 anos, era membro do Greenpeace e morreu durante viagem a trabalho pela entidade 18/10/2017 às 08:56 - Atualizado em 18/10/2017 às 10:09
Show turista 3
A sueca morreu durante queda de avião nessa terça-feira (17)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

A sueca Carolina Josefina Nyberg Steiser, de 29 anos, que morreu durante a queda de um avião do Greenpeace nessa terça-feira (17) no Rio Negro, na região de Anavilhanas, no Amazonas, demonstrava amor pela natureza nas redes sociais. O nome da vítima foi confirmado na manhã desta quarta-feira (18) pelo Instituto Médico Legal (IML) de Manaus e a Polícia Civil do Estado do Amazonas. Ao todo, cinco pessoas estavam a bordo.

Carolina Josefina era membro da organização não governamental de meio ambiente Greenpeace e morreu durante viagem para entidade. Ela era chefe de parcerias, artistas e influenciadores da ONG e, nas redes sociais, compartilhava momentos de trabalho e em defesa pela preservação do meio ambiente. Ela dividia com os seguidores viagens que fazia por diversos locais do mundo.

Na última publicação feita no Instagram no dia 25 de setembro, a sueca compartilhou um post da modelo brasileira Gisele Bündchen, que pedia um "mundo com pessoas e empresas que possam liderar o caminho para soluções mais sustentáveis". Em uma publicação do dia 9 de julho, a sueca afirmou que estava se preparando para uma aventura no verão do Ártico.

Investigações

Por meio de nota, a Polícia Civil do Estado do Amazonas informou que um Boletim de Ocorrência (B.O) foi registrado no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP) como queda de aeronave. Segundo o órgão, o avião anfíbio tentou pousar no Rio Negro, mas virou para o lado. No momento da queda, a sueca Carolina Josefina Nyberg Steiser, 29, afogou e morreu no local. Os outros tripulantes foram resgatados por ribeirinhos.

A PC também relatou que os representantes do Greenpeace entraram em contato com os familiares da vítima e dos tripulantes. A polícia destacou que o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) do Comando da Aeronáutica (COMAER) irá investigar as causas do acidente. 

A queda do avião

O avião do Greepeace que caiu na região de Anavilhanas era um modelo Cessna 2018. A informação foi confirmada pelo Centro de Comunicação da Aeronáutica (Cecomsaer) da Força Aérea Brasileira (FAB). As quatro pessoas sobreviventes do acidente aéreo eram mais três brasileiros e o piloto. Todos foram levados a unidades de saúde de Manaus para receber atendimento médico e não correm risco de morte.

No IML, uma funcionária do Greenpeace, que não quis ser identificada, disse que o trajeto do avião se tratava de um voo panorâmico na região do arquipélago de Anavilhanas, o qual fazia parte de um estudo. Segundo ela, o percurso era feito com frequência na região. Em nota, o Greenpeace reiterou que os esforços estão concentrados em colaborar com os órgãos competentes para investigar o caso.

LEIA MAIS

Avião do Greenpeace cai no Rio Negro com cinco passageiros a bordo

Corpo de turista sueca morta em queda de avião é levado para o IML

Queda de avião do Greenpeace é o 2º acidente aéreo da ONG em dois anos

Publicidade
Publicidade