Política, Eleições Municipais 2012, Polícia Federal, Resolução nº 23.376, TSE, PTN, Arnaldo Mitouso, Sabrina Cumba Ferreira, Coari

Superintendente da PF sai em defesa de delegado que apreendeu dinheiro em Coari (AM)

O Superintendente da Polícia Federal do Amazonas, Sérgio Fontes saiu em defesa do delegado federal Domingos Sávio e afirmou que “não houve desobediência" em relação à decisão da juíza eleitoral de Coari, Sabrina Cumba Ferreira

ACRÍTICA.COM
16/10/2012 às 22:51.
Atualizado em 19/03/2022 às 13:37

(Superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Sérgio Fontes afirmou que não houve desobediência contra a ordem judicial)

A Polícia Federa divulgou nesta terça-feira (16) uma nota oficial http://www.acritica.com.br/manaus/Nota-Oficial-Policia-Federal_ACRFIL20121016_0001.doc a respeito da polêmica envolvendo a apreensão da quantia de R$ 479.750, da Coligação “Com a Força do Povo“,  às vésperas das eleições, no município de Coari (a 370 quilômetros de Manaus), pelo delegado Domingos Sávio Pinzon e a decisão da juíza eleitoral da 8ª zona eleitoral de Coari, Sabrina Cumba Ferreira.

O documento além de conter explicações sobre o ocorrido, também defende a conduta adotada pelo delegado federal, que de acordo com o próprio, agiu conforme as determinações da resolução nº 23.376, do Tribunal Superior Eleitoral.

Procurado pelo acritica.com para falar sobre o assunto, o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, delegado federal Sérgio Fontes afirmou que “não houve desobediência por parte do delegado Domingos Sávio”, em relação à decisão da magistrada.

Como o dinheiro foi apreendido na sexta-feira (5) à noite, no dia seguinte, sábado (6), um avião fretado pela Polícia Federal foi deslocado para Coari, para transportar a quantia em apreendida e a equipe de policiais que se encontravam na cidade, uma vez que os valores deveriam ser mantidos em segurança, e conforme a lei, depositados em uma agência bancária.

Entretanto, a decisão da magistrada – atendendo um Mandado de Segurança da coligação -, de que os valores deveriam ser devolvidos e que Domingos Sávio deveria prestar informações sobre o dinheiro só chegou ao conhecimento do delegado federal à noite.

“Não existiu desobediência. Quando a ordem da juíza chegou, no domingo (7) à noite, ele (Domingos Sávio) já se encontrava em Manaus, com o dinheiro em segurança, e também havia protocolado um ofício no Cartório Eleitoral de Coari, informando à magistrada as medidas por ele adotadas ", explica Sérgio Fontes.

O superintendente também salientou que os quase R$ 500 mil apreendidos se encontram depositado em uma conta da Caixa Econômica Federal, à disposição do juizado eleitoral de Coari, e que os mesmos podem ser requeridos pela coligação.

Prisão

Apesar das explicações prestadas desde a apreensão do dinheiro pelo delegado federal Domingos Sávio Pinzon, nessa segunda-feira (15), a coligação “Com a Força do Povo” deu entrada no pedido de prisão preventiva dele, sob a alegação de abuso de poder.

Procurado para falar sobre o assunto, o delegado limitou-se a informar que só irá se pronunciar sobre o caso por meio de notas emitidas pela Associação Nacional dos Delegados Federais (ADPF-AM).

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por