Publicidade
Manaus
Manaus

Suposta execução relacionada ao tráfico de drogas termina em banho de sangue com 4 mortos

Os assassinatos ocorreram na casa de Ivan Teixeira Pessoa, uma da vítimas, localizada na rua 1, comunidade Novo Milênio, bairro Santa Etelvina, Zona Norte 27/02/2015 às 16:43
Show 1
Policiais civis da DEHS foram ao local investigar o caso
Kelly Melo e Lucas Jardim Manaus (AM)

No início da tarde desta sexta-feira (27), uma adolescente de 17 anos cozinhava para o seu namorado quando ouviu um tiro e se escondeu. Após alguns minutos, ela saiu e se deparou com três pessoas, entre elas seu irmão e seu namorado, algemadas e mortas na área externa do imóvel - localizado na rua 1 da comunidade Novo Milênio, no bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus - e uma quarta vítima, baleada e também algemada.

As mortes de Denilson Lobo de Rodrigues, de 19 anos, Ediney Souza dos Santos, também com 19, e Ivan Teixeira Pessoa parecem ter sido planejadas com frieza e a polícia especula que ela tenha sido decorrente de disputas territoriais de grupos rivais envolvidos com o tráfico de drogas na capital.

Os assassinatos ocorreram na casa de Ivan. Ele era namorado da adolescente, que até a tarde desta sexta-feira ainda prestava depoimento na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (Dehs).

A quarta vítima não morreu na hora do ataque. A mulher, que ainda não teve o nome relevado, chegou a ser levada ao Hospital e Pronto Socorro Dr. Platão Araújo, mas veio a óbito na unidade hospitalar.

Execução

A Dehs, que investiga o caso, informou que dois suspeitos chegaram ao local do crime, entre as 12h e 13h desta sexta, e se identificaram como policiais. Ao entrar na casa, eles algemaram as vítimas e dispararam contra eles a sangue frio. Ivan foi atingido por três disparos, enquanto Ediney e Denilson foram atingidos apenas por um cada, na cabeça.

Moradores da área disseram que uma boca de fumo funcionava na residência e, de fato, uma porção de entorpecente foi encontrada dentro da casa pelos investigadores, o que, ainda de acordo com a polícia, reforça o vínculo das vítimas com o tráfico.

A Polícia Civil do Amazonas informou, ainda, que os suspeitos saíram da cena do crime de posse de duas pistolas que pertenceriam às vítimas. Até a publicação desta matéria, nenhum deles tinha sido identificado ou detido.

Publicidade
Publicidade