Publicidade
Manaus
CAOS NO TRÂNSITO

Suspeita de bomba em passarela prejudica trânsito em seis avenidas da capital

Apesar de explodir mala, grupamento não soube informar se objeto continha ou não explosivo. Zona Centro-Sul ficou prejudicada com interdição de ruas. No Centro, dois artefatos foram destruídos durante a manhã 08/07/2016 às 15:42
Show mala
Mala foi explodida pelo Marte, que não soube informar se ela apresentava risco real (Foto: Clóvis Miranda)
Oswaldo Neto e Marcela Moraes Manaus (AM)

Após suspeita de bomba na avenida Djalma Batista na tarde desta sexta-feira (8), o Grupamento de Manejo de Artefatos Explosivos (Marte) da Polícia Militar explodiu uma mala que, para eles, apresentava a suspeita de conter artefatos explosivos. O grupamento não soube informar se a mala continha ou não algum tipo de bomba. O trânsito ficou prejudicado em pelo menos seis grandes avenidas da Zona Centro-Sul.

O objeto suspeito foi explodido pelo Marte por volta das 14h. Segundo populares, a mala de cor vermelha foi deixada no local ontem (7), embaixo de uma passarela localizada em frente ao supermercado Carrefour, bairro Flores, no entanto, não há informações da pessoa que abandonou o objeto.

Pessoas que aguardavam ônibus foram retiradas das proximidades por conta da suspeita. De acordo com o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), avenidas como Constantino Nery, Umberto Calderaro, Djalma Batista, Maceió e Boulevard ficaram com o trânsito comprometido.

Embora o trânsito e o tráfego de pessoas tenham sido totalmente alterados no local, o Marte não soube informar se a mala continha ou não um artefato explosivo. “Como era uma mala que tinha dentro materiais de uso desconhecido, concluímos que se tratava de um objeto suspeito. Não podemos assegurar ainda se tinha um explosivo ou não. O local do crime permanece isolado para procedimentos decorrentes do Instituto de Criminalística da Polícia Civil”, explicou o capitão Mesquita Feitosa, do Grupo Marte.

“Quando dizemos ‘objeto suspeito’ queremos dizer um objeto que está no local, mas que não condiz com o local. Tem várias formas de tratar um objeto como suspeito. Por exemplo, um livro numa livraria não é suspeito, mas um livro abandonado num supermercado é suspeito”, declarou o capitão, adiantando que um parecer técnico será feito pelo grupamento.

Segundo ele, câmeras do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) devem ajudar a Polícia Civil a identificar a pessoa que deixou a mala no local. Um inquérito deve ser aberto.

Outra ameaça

Durante a manhã, dois artefatos explosivos foram detonados pelo Grupo Marte na avenida Lobo D’Almada, Centro de Manaus. O local também foi isolado e passará por perícia.

Publicidade
Publicidade