Publicidade
Manaus
Manaus

Suspeito de matar policial civil morre em confronto com a polícia

Neverton de Amorim Corrêa, 25, foi identificado como o suspeito que usava boné vermelho durante o crime e que foi responsável pelos tiros que mataram o investigador Raimundo Masulo Ribeiro, 62 11/11/2014 às 22:20
Show 1
Pai do suspeito confirmou a participação dele na morte do policial
Lucas Jardim Manaus (AM)

O homem suspeito de matar o investigador da Polícia Civil Raimundo Masulo Ribeiro, 62, durante um assalto na noite desta segunda-feira (10) foi morto no final da tarde desta terça-feira (11) em um confronto armado com policiais em frente a sua casa, localizada na rua Bertino Miranda, bairro Colônia Oliveira Machado, Zona Sul de Manaus.

Uma força-tarefa, capitaneada pelos delegados Paulo Martins, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (Dehs), e Mário Júnior, da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), identificou Neverton de Amorim Corrêa, 25, como o suspeito que usava boné vermelho durante o crime e que foi responsável pelos tiros que mataram o investigador.

Os policiais foram à casa do suspeito que, ao notar a presença deles, optou por uma recepção hostil. "Fomos recebidos a bala pelo suspeito. Depois, ele colocou a arma na cabeça e ameaçou se matar. Segundo o pai dele, ele estava muito drogado na hora em que fizemos a abordagem. De qualquer forma, tentamos negociar mas ele voltou a atirar contra a gente, então reagimos. Ele levou um tiro e chegamos a levá-lo com vida ao Hospital Pronto Socorro João Lúcio, mas ele veio a óbito lá", contou o investigador da PC Geraldo Filho.

Segundo Geraldo, o pai de Neverton confirmou a participação do filho no ocorrido. "O pai dele nos contou que ele chegou em casa de manhã preocupado, dizendo que tinha matado alguém e que acreditava que esse alguém era policial. Por causa disso, ele pediu ao pai que o levasse para o interior do Estado, mas o pai não concordou com isso e deixou o filho em casa", contou o policial.

Ainda de acordo com ele, a arma utilizada no confronto hoje é a mesma que foi utilizada para matar Raimundo Masulo. "Já apreendemos a arma e esse fato já foi constatado pela perícia. Como o suspeito atentou contra a nossa vida hoje, já foi aberto um inquérito sobre isso, que está tramitando pelo 27º Distrito Integrado de Polícia [DIP] já que, apesar de tentativa de homicídio ser da competência da Dehs, como nós, da especializada, fomos vítimas do fato, não podemos investigá-lo, por força de lei", explicou Geraldo, que também informou que os outros dois suspeitos envolvidos no crime já foram identificados e estão sendo procurados.

Publicidade
Publicidade