Terça-feira, 23 de Julho de 2019
Manaus

Suspeitos de agenciar jovens do interior do AM para prostituição em Manaus são detidos

Uma adolescente de Manaquiri que estava desaparecida há duas semanas foi encontrada na casa de possível aliciador. A garota teria sido trazida para trabalhar em um prostíbulo



1.jpg O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca)
31/08/2013 às 14:51

Uma dupla suspeita de trazer meninas do interior do Amazonas para se prostituirem em Manaus foi detida na noite dessa sexta-feira (30), por volta de 18h30, pela Polícia Civil. Andréia Ferreira de Souza, 24, e Oemson Lira da Silva, 34, foram encontrados na companhia de uma garota de 14 anos de Manaquiri (a 65 quilômetros da capital), que estava desaparecida desde o dia 19 de agosto.

A mãe da garota contou que a filha saiu de casa para ir à escola, onde estuda o 8º ano, e não voltou mais. “Ela veio para Manaus por conta do namorado. É a segunda vez que ela foge. Eu consegui acessar o Facebook dela e li uma conversa. Vi que ela tinha vindo para uma casa no [bairro] São José, numa casa de uma mulher chamada Lídia”, disse a mãe.

Na capital, além da polícia, a mãe pediu ajuda aos meios de comunicação locais para que a foto da garota fosse divulgada. Com a imagem da menina em mãos, os policiais da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) confirmaram com moradores do São José 4 que a jovem foi vista nas imediações do bairro.

Populares apontaram Oemson e Andréia como “amigos” da menina, que vivia em possível prostíbulo onde “rolava muita droga”. Os policiais detiveram Andréia na casa dela, na rua Sorriso de Lagarto, São José 4, Zona Leste, onde mora com a filha de cinco anos. Em seguida, a polícia interceptou a garota desaparecida em um carro junto de Oemson, na rua 1 do bairro São Lucas, Zona Leste, quando saíam de “malas prontas”.

Investigações

A garota prestou depoimento na delegacia e foi levada pela mãe e pelo pai. Andréia e Oemson também prestaram depoimento e foram liberados, segundo a mãe da garota, por não haver provas suficientes para que eles fossem presos em flagrante. O ACRITICA.COM tentou contato com os investigadores da Depca, mas não obteve sucesso.

Para a mãe, a garota negou que tenha se prostituído em Manaus. “Ela disse que ficava o dia todo cuidando da filha de cinco anos e da casa da mulher [Andréia], e que à noite ia para festas. Essa mulher usa sempre essa história. Mas soubemos que minha filha foi vista em várias festas no São José e no [bairro] Alvorada”, relatou.

Conforme a polícia, outra garota de 14 anos de Parintins (325 quilômetros a oeste de Manaus) também teria sido trazida pelos “aliciadores” para se prostituir em Manaus. O tio da jovem reconheceu na delegacia, nessa sexta-feira(30), Andréia como a mulher que trouxe a sobrinha dele para a capital.

A polícia continua colhendo provas do crime. Se comprovada a autoria, Andréia e Oemson podem responder judicialmente por corrupção de menores, entre outros crimes. Uma audiência sobre o caso deverá ser realizada nessa segunda-feira (2) na Depca.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.