Publicidade
Manaus
Manaus

Suspeitos de desviarem R$ 1 milhão em material do hospital Francisca Mendes são presos

Eles foram detidos por policiais da 2ª Seccional Norte. A estimativa é de que o prejuízo a unidade hospitalar seja de aproximadamente R$ 1 mi 03/02/2016 às 17:40
Show 1
Material era para uso exclusivo da UTI
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Policiais da 2ª Seccional Norte prenderam três pessoas na manhã desta quarta-feira (3) suspeitas de integrar uma quadrilha responsável pelo desvio de medicamentos exclusivos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), durante um ano, da Fundação do Coração Francisca Mendes, na Zona Norte de Manaus. A estimativa é de que o prejuízo à unidade hospitalar seja de aproximadamente R$ 1 milhão. A ação resultou de denúncia formalizada pela direção da própria unidade de saúde. 

O hospital contabilizou um prejuízo no valor de R$ 366 mil, no período de julho a novembro de 2014, pois os valores dos medicamentos variam de R$ 7 mil a R$ 11 mil, mas, segundo o delegado titular Fernando Bezerra, responsável pela operação, estimasse que o prejuízo seja maior, totalizando R$ 1 milhão.

Estimasse que o prejuízo à instituição seja de aproximadamente R$ 1 milhão

Segundo o secretário estadual de saúde, Pedro Elias de Souza, a direção do hospital recebeu denúncia anônima, há quatro meses, de que estava ocorrendo desvio de medicamentos e outros insumos da farmácia da unidade e comunicou imediatamente a polícia. O secretário ressalta que assim que foi comunicada, a polícia iniciou a investigação, que culminou na prisão de três pessoas, entre eles, o funcionário do hospital, Rubem Gato Pantoja Júnior, 21.

“Prestamos todo apoio às investigações e continuaremos a colaborar com o trabalho da polícia. Não se pode admitir uma conduta como esta, criminosa, e que além de tudo prejudica o atendimento prestado pela instituição”, afirmou o secretário. De acordo com ele, as investigações continuam e se houver o envolvimento de outras pessoas do quadro do hospital ou de outra unidade da rede estadual de saúde, serão tomadas as medidas cabíveis para afastá-los. 

O diretor do Francisca Mendes, Ivan Tramujas, explicou que o funcionário detido na operação desta quarta-feira já estava em processo de demissão, antes mesmo da prisão, pois há um mês não comparecia para dar expediente na unidade. O funcionário era contratado em regime CLT, pela Fundação de Apoio Institucional Rio Solimões (Unisol), que dá suporte à Universidade Federal do Amazonas (Ufam), na administração da unidade.

As prisões foram efetuadas pela equipe “Chacal” da 2ª Seccional Norte, sob o comando do delegado titular Fernando Bezerra. Além de Rubem Pantoja, foram presos a proprietária da distribuidora que comercializava os produtos furtado do hospital e o funcionário dela.

Esquema

Conforme o delegado Fernando Bezerra, o servidor do hospital repassava o material furtado para o funcionário da distribuidora e a proprietária comercializava os produtos novamente. Ao longo da operação, que recebeu o nome de “Pharmacus”, foram apreendidos medicamentos da unidade hospitalar com datas de validade alteradas, dois carros e uma motocicleta.

Delegado Fernando Bezerra com dois dos suspeitos de terem realizado o desvio de medicamentos

Os nomes dos envolvidos não foram divulgados pela Polícia Civil, mas uma fonte da PC informou que se trata de Adriana Lima da Silva, 38, proprietária da distribuidora, que fica no bairro Alvorada; o funcionário dela, Célio Roberto Câmara da Silva, 37; e o auxiliar administrativo do hospital Rubem Gato Pantoja Júnior, 21.

O trio foi indiciado pelos crimes de peculato, adulteração, receptação e associação criminosa. Após procedimentos legais, os dois homens foram encaminhados à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, e a mulher foi levada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), no quilômetro oito da rodovia federal BR-174, que liga Manaus a Boa Vista.

Assistência farmacêutica

A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) está implantando sistema desenvolvido pela empresa Processamento de Dados Amazonas S.A. (PRODAM), que irá monitorar o processo de distribuição de medicamentos, em toda a rede estadual de saúde. O objetivo é dar maior eficiência ao controle de toda a cadeia de suprimento, desde a aquisição do medicamento até a sua utilização pelo usuário. 


*Com informações da assessoria da Susam.

Publicidade
Publicidade