Publicidade
Manaus
Manaus

TAC para a reabertura da Ponta Negra ganha nova data de assinatura

Em reunião com representantes do MPE-AM a Prefeitura de Manaus também assumiu o compromisso de fazer o monitoramento bimestral das condições do aterro da praia perene, antes sob a responsabilidade do Serviço G eológico do Brasil (CPRM) 07/03/2013 às 13:18
Show 1
Reunião entre representantes do Corpo de Bombeiros, Prefeitura de Manaus e Ministério Público do Estado na manhã desta quinta-feira (7)
acritica.com* Manaus

O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que regulamenta a liberação da praia da Ponta Negra, deve ser assinado no próximo dia 15. A data foi proposta na manhã desta quinta-feira (7), durante a reunião executiva que definiu a minuta do documento. Apenas uma questão ficou indefinida no encontro na sede do Ministério Público Estadual (MP-AM),  entre Prefeitura de Manaus, Corpo de Bombeiros e comissão que investiga as condições para reabertura do local.

“Vamos envidar esforços, junto com a Polícia Militar (PM), para que apresentem o quantitativo de materiais e agentes mínimos que atuarão no monitoramento ostensivo da praia. Essa foi a única cláusula que ficou aberta, mas que até o dia 15, data proposta para assinatura do TAC, deverá estar concluída”, explicou a procuradora de Justiça, Jussara Pordeus.

Ainda segundo a procuradora, que coordena a comissão que investiga as condições para reabertura da praia da Ponta Negra, no mesmo dia da assinatura do TAC, também será realizada a simulação de segurança dos banhistas. Para isso, falta a aquisição de parte do equipamento de segurança necessário.

De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiro, Marco Antônio Gama, a Prefeitura de Manaus já forneceu alguns equipamentos, como 600 metros de corda com boia, 10 flutuadores, oito cadeirões, quatro binóculos e dois pranchões.

“Os jet skis e quadriciclos necessários para o socorro rápido em via aquática ou terrestre já estão em fase de aquisição pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf). Outros materiais, como os catamarães (postos de observação flutuante), poderão se substituídos pelas lanchas para que a simulação seja realizada”, afirmou o tenente.

Na reunião, ficou definido que o TAC valerá tanto para primeira etapa da praia, já entregue, como também para segunda etapa, ainda em construção. A Prefeitura de Manaus também assumiu o compromisso de fazer o monitoramento bimestral das condições do aterro da praia perene, antes sob a responsabilidade do Serviço G eológico do Brasil (CPRM).

* com informações da assessoria de imprensa

 

Publicidade
Publicidade