Publicidade
Manaus
13° do taxista

Táxis passam a cobrar bandeira 2 a partir do dia 1º de dezembro em Manaus

A taxa representa um aumento de 32% em relação à bandeira 1 e será cobrada até o dia 31 de dezembro 28/11/2016 às 09:46
Show aumento
Segundo o presidente do Sintax, o número de corridas deve aumentar somente a partir do dia 15 de dezembro. Foto: Reprodução/Internet
Rafael Seixas Manaus (AM)

A partir desta quinta-feira (1° de dezembro), os taxistas de Manaus passarão a cobrar bandeira 2 nas corridas, totalizando um aumento de 32% em relação à bandeira 1. O aumento, previsto em decreto municipal, é uma espécie de abono natalino e tem a finalidade de beneficiar a categoria com o 13º salário.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Condutores Autônomos e Taxistas de Manaus (Sintax), Luiz Augusto, mesmo com a bandeira 2 sendo cobrada até o dia 31 de dezembro, a categoria terá dificuldade para conseguir uma renda extra por conta da grande quantidade de veículos clandestinos que fazem transporte na capital.

“A bandeira 2 é realmente o décimo do taxista. É um décimo meio aperreado, porque hoje existe muita clandestinidade em Manaus. Há táxis piratas, carros particulares fazendo lotação, carros fazendo frete e mototaxistas, com pouco mais de 3 mil autorizados e mais de 15 mil nas ruas”, declarou o sindicalista.

“É meio aperreado para o colega porque só melhora [o movimento] a partir do dia 15 de dezembro, quando a população recebe o 13° salário”, acrescentou.

Com a bandeira 2 fixada em dezembro, os usuários vão pagar a taxa reajusta a qualquer momento do dia, em todos os horários. A bandeira 1 é cobrada das 6h às 22h, exceto nas corridas de táxis convencionais de ida e/ou volta para o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, estabelecida por área. Enquanto a bandeira 2 é praticada das 22h às 6h em dias úteis, nos finais de semana e em feriados.

O valor da bandeirada dos táxis comuns em Manaus é R$ 4 e o quilômetro rodado varia de R$ 2,60 [bandeira 1] a R$ 3,45 [bandeira 2]. Segundo o Sintax, há 4.021 concessões de taxistas na capital amazonense.

Publicidade
Publicidade