Publicidade
Manaus
Manaus

Taxista morre após colisão entre três veículos na Zona Oeste de Manaus

O táxi guiado por Edilson, um Idea, de placas NOL 1013, que trafegava no sentido contrário, Aeroporto-Centro, com um passageiro, foi atingido de frente pelo Classic desgovernado, que incendiou após o impacto da batida. 04/02/2013 às 20:20
Show 1
O carro Celta que vinha em sentido contrário foi atingido pelo táxi e incendiou minutos depois
Bruna Souza Manaus, AM

Um acidente envolvendo três veículos na noite desse domingo (03), vitimou o taxista da empresa Tucuxi Rádio táxi, Edilson Henrique da Costa Rodrigues, 40, por volta das 23h30, na avenida Santos Dummond, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus, próximo ao Aeroporto Internacional Eduardo Gomes.

O táxi guiado por Edilson, um Idea, de placas NOL 1013, que trafegava no sentido contrário, Aeroporto-Centro, com um passageiro, foi atingido de frente pelo Classic desgovernado, que incendiou após o impacto da batida.

O caso foi registrado no 18° Distrito Integrado de Polícia (DIP). O veterinário Sidney Emanoel, que presenciou o acidente e também teve prejuízos, foi liberado depois de ser ouvido pela polícia. Ele diz estar temeroso com a reação dos taxistas. O laudo pericial deve apontar as causas do acidente.

Em declaração ao portal acrítica.com o veterinário contou que se dirigia ao Aeroporto para onde levaria parentes que viajariam. Quando ele ainda estava na avenida Torquato Tapajós o Corsa apareceu à sua frente, sendo dirigido em zigue-zague pelo condutor. Segundo seu relato, a situação continuou desta forma até a estrada do Aeroporto. Quando o motorista do Corsa perdeu o controle, entrou uma numa via na contramão e se chocou com o carro do taxista que vinha na direção contrária.

“Com esse choque abriu um clarão, acho que de fumaça. Não vi mais nada e meu carro acabou sendo batido também com o carro que rodou. O meu ficou batido na frente e na lateral e tive que frear rápido. Durante a batida, vi que o Corsa também ‘disparou’ muita lata de cerveja”, disse Sidney.

Ao ver o Corsa com fumaça, Sidney se dirigiu ao carro e conseguiu retirar uma moça, um rapaz e uma criança. Em seguida, o carro explodiu, segundo ele. O veterinário não soube dizer o que aconteceu com o condutor do Corsa.

“Enquanto isso outras pessoas foram socorrer o taxista, que infelizmente morreu. Acabei ficando no local, esperando o Samu e o Corpo de Bombeiros. Depois apareceram uns taxistas que tentaram me linchar. Falaram que fui o culpado. Isso é totalmente mentira. Fui tentar ajudar e acabou pegando para o meu lado”, afirmou.

O sepultamento de Edilson Henrique estava previsto para ocorrer nesta terça-feira (5), pela manhã, no cemitério Nossa Senhora Aparecida, no bairro Tarumã.

Publicidade
Publicidade