Publicidade
Manaus
PROTESTO

Técnicos administrativos da Semed protestam contra apadrinhamento dentro da instituição

Servidores cobraram da Prefeitura de Manaus um posicionamento sobre reajustes como a progressão prevista no Plano de Cargos e Salários 05/10/2018 às 10:56 - Atualizado em 05/10/2018 às 13:11
Show a40c3075 0cf0 41ba a558 981deb235598 9f38de1d a040 4c1c bc19 9d207c9dcaf0
Foto: Euzivaldo Queiroz
Karol Rocha Manaus (AM)

Quarenta e cinco técnicos administrativos da Secretaria Municipal de Educação (Semed) em Manaus se reuniram na manhã desta sexta-feira (5) em frente à sede do órgão para cobrar da Prefeitura de Manaus reajustes trabalhistas como a progressão prevista no Plano de Cargos e Salários e Promoção por Titularidade.

Uma das reivindicações é o possível apadrinhamento dentro da instituição, já que, segundo eles, alguns servidores nas mesmas condições receberam o benefício antes dos demais. “O mais grave disso tudo são as suspeitas de favorecimento. Existe um procedimento para que seja analisado e esses procedimentos não são respeitados. Em alguns casos, o decreto é assinado pelo prefeito e portarias assinadas pela secretaria, favorecendo pessoas com processos tramitados há menos de dois meses e de outros estão há anos e nada é feito”, reclamou o servidor Efraim Félix de 29 anos.

Outro servidor Iuri Alencar, de 42 anos, afirma que a secretaria diz nunca ter sido procurada sobre o assunto, o que não procede. “Temos documentos tanto recebidos pela Semed solicitando providências, quanto pela Defensoria Pública que convocou a Secretaria para dar explicações. Neste documento, o subsecretário de finanças garante que pagaria as progressões de tempo e promoções por Titularidades até o segundo semestre de 2017, o que não foi feito”, disse ele.

Ao todo, 500 técnicos administrativos aguardam progressão por tempo de serviço. Já a promoção por titularidade são 150 servidores.

Resposta da Semed

Procurada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Educação repassou a mesma informação quando foi questionada ontem pela reportagem do Portal A Crítica. A nota informa que não foi procurada por nenhum representante da categoria ou comissão formada pelos mesmos para tratar das reivindicações apresentadas e ressalta “que mantém um canal de diálogo aberto com os servidores, estando à disposição para discutir o tema”.

A nota informa ainda que, quanto ao pagamento, as progressões por tempo de serviço e titularidade serão pagas a todos os servidores que deram entrada solicitando o benefício e que as portarias serão publicadas até o final deste ano.

Publicidade
Publicidade